Sentada na Montanha-russa – A vista do alto é deslumbrante 

 

Por que consumimos a ideia de que 40 vai ser tão diferente dos 39 anos? Aparece uma avalanche de dúvidas e emoções transitando dentro da nossa cabeça quando a data do aniversário se aproxima. Lembro-me de fazer a analogia de estar dentro de uma montanha russa, lá em cima, com o carrinho embicado para a queda. Ai meu Deus! Que frio na barriga de passar por isso.

Hormônios despencando, colágeno indo embora, linhas de expressão marcando o rosto. Nem posso ficar brava que elas saltam na testa antes mesmo do vencimento do próximo botox.

Dia desses, eu estava sentada na copa do escritório onde eu trabalhava, tomando café com um amigo e falando sobre nossos sonhos e projetos fora dali. Percebi que ele também alimentava sonhos que foram podados ao longo da carreira por serem tão naturais, às vezes, tão simples também.

Eu pontuava as nuances da vida de escritora com entrevistas, pesquisas e construção de personagens. Ele elaborava um plano para resgatar o projeto de ser roteirista de teatro. Senti que aquela conversa me alimentava muito mais do que o próprio café com pão de queijo à nossa frente, mas em algum momento ele entrou no xis da questão da sua estagnação em concretizar sonhos, e o diálogo ficou profundo e terapêutico.

“Já completei quarenta anos e ainda não sei o que fazer para me sentir feliz por completo”, declarou meu amigo, em sussurros.

O pior não foi ouvir o desabafo do outro, foi ficar em silêncio ao ser questionada sobre o que fiz para me transformar e ter certeza das minhas convicções aos quarenta. Confesso que tive que pensar um tempinho, entre um gole e outro do café ainda quente, mas a resposta veio à mente: – Escrever o livro Conexão – A Chave do Verdadeiro Amor aos quarenta foi, com certeza, um salto em minha vida.

Não tive a experiência da protagonista de viver uma nova cultura em Istambul, nem fiz um mestrado no exterior como ela, no entanto, eu peguei carona na energia principal que trabalhei por meses no meu livro.

Pela primeira vez consegui me conectar de verdade comigo mesma. Despertei a minha essência, resgatei a minha autenticidade. Depois disso, tudo ficou muito mais leve, não preciso provar nada para ninguém. Sou livre para tomar as minhas decisões sem depender de agradar somente ao outro. Este é o maior problema a meu ver, eu queria agradar e acabava ficando refém do outro, do julgamento dos outros.

Agora faço por mim, para me agradar. Escrevo para mim, assuntos que eu gosto de estudar e, por consequência, posso ajudar outras pessoas com novas ideias, reflexões ou apenas promovendo a diversão de ler um romance romântico. Esta pequena sacada mudou tudo dentro de mim.

Neste momento, com quarenta e três anos, volto ao topo da montanha russa não com medo da descida, mas agora disposta a gritar se ficar ansiosa, querendo levantar as mãos para o alto para mostrar a jovialidade que ainda habita em mim e, ainda por cima, consigo suspirar ao admirar a vista. Entende o que quero dizer? Isto é apreciar a sua idade feliz e todo o resto de vida que virá pela frente.

Sobre a autora: Juliana Marinho é formada em Relações Públicas pela Faap, Pós-graduada em Psicologia Positiva e Ciência do Bem-estar e cursou Civilização Francesa na Université de la Sorbonne, em Paris. Em 2019 participou da Antologia Romântica com o seu conto Elo de Esmeralda, publicada pela editora Lura. Ela nasceu em São José dos Campos e hoje mora em São Paulo com a filha e o marido.

 

Se eu quero me casar novamente?

Quantos homens ouvi dizer que querem uma mulher inteligente em suas vidas!

Gostaria de encorajá-los a pensar sobre isso.

Mulheres inteligentes:

Elas tomam decisões por si mesmas, têm seus próprios desejos e estabelecem limites.

Você nunca será o centro da vida delas, porque ela gira em torno de si mesma. Uma mulher inteligente não será manipulada ou chantageada, ela não engole culpa, assume responsabilidades.

Mulheres inteligentes questionam, analisam, argumentam, elas não estão satisfeitas, elas avançam. Essas mulheres tiveram vida antes de você e sabem que continuarão a tê-la quando você partir.

Elas estão aqui para avisar, não para pedir permissão. Essas mulheres não procuram no parceiro um líder para seguir, um pai que resolverá suas vidas ou um filho para resgatar.

Elas não querem segui-lo ou liderar o caminho para ninguém, elas querem andar ao seu lado. Elas sabem que a vida livre de violência é um direito, não é um luxo ou um privilégio.

Elas expressam raiva, tristeza, alegria e medo, porque elas sabem que o medo não as tornam fracas, da mesma maneira que a raiva não as tornam “masculinos”. Essas duas emoções e as outras, juntas, as tornam humanas.

E agora! Uma mulher inteligente é livre porque lutou por sua liberdade. Mas ela não é uma vítima, ela é uma sobrevivente. Não tente acorrentá-la, porque ela saberá como escapar.

Lembre-se de que você já fez isso antes.

A mulher inteligente sabe que seu valor não está na aparência de seu corpo ou o que Ela faz com isso. Pense duas vezes antes de julgá-la por idade, altura, volume ou comportamento sexual, porque isso é violência emocional e ela sabe disso.

Então… Antes de abrir a boca para dizer que você quer uma mulher “inteligente” em sua vida, pergunte-se se você realmente está pronto para intercambiar a vida com ELA.

*Gabriel García Marques*

SIM!

Se houver um homem que seja CAPAZ de me reconhecer e me respeitar como uma “MULHER INTELIGENTE”. SIM! Vou me casar novamente!

Você acredita que vou me casar novamente?

Por Valéria Ruiz

Mulheres fortes preferem encontrar o amor “tarde” do que estar com a pessoa errada

Nós mulheres geralmente somos ensinadas desde cedo a termos um marido o quanto antes para que consigamos o casamento perfeito. Essa teoria é ensinada pela nossa família, e também por toda a sociedade.

Dizem que devemos ter o par ideal até os 30 anos, e que se isso não acontecer há algo de errado conosco.

Essa pressão pode fazer com que acabemos escolhendo um parceiro por temor e não por amor, colocando o romance acima de todas as outras áreas da nossa vida, inclusive da nossa realização pessoal.

O medo da solidão faz com que acabemos escolhendo alguém que não seria o par ideal para nós, e que pode nos fadar a ter dias infelizes.

Portanto, é essencial que sejamos tranquilas em relação a isso, e se caso tenhamos a vontade de ter um relacionamento, que saibamos optar por uma pessoa que realmente tenha algo a ver conosco.

A escolha pela pessoa que passaremos os nossos dias deve ser séria e levada pelo amor, por isso, trabalhe a sua autossuficiência para se sentir completa.

Nós só conseguimos encontrar alguém se estivermos amando a nós mesmas.

Por isso, priorize o amor próprio e foque em cuidar de si. Assim, você na certa encontrará um grande amor quando estiver pronta.

Antes só e feliz, do que com alguém que não a completa!

Virada Feminina – Seja a protagonista da sua vida!

Olá, meninas! Tenho novidades para todas vocês, Mulheres de Quarenta ou mais, que gostam de se informar e se atualizar sobre tudo o que acontece no nosso universo feminino.

No próximo dia 2 de junho acontece na sede da FIESP, na Av. Paulista 1313, a partir das 9h, a terceira edição da Virada Feminina, que esse ano conta com uma programação repleta de atividades para o público feminino, abordando empreendedorismo, saúde, educação, cidadania, sustentabilidade, justiça, inclusão social, diversidade e combate a violência contra a mulher. Serão horas que se multiplicarão por anos, com ressonância no setor privado, setor público, sociedade civil organizada e cidadãos.

Tendo já participado ativamente das edições anteriores, recebi o convite da nossa grande líder Marta Lívia Suplicy, presidente da LIBRA e idealizadora da Virada Feminina, para coordenar o Grupo de Trabalho de Empreendedorismo, Empregabilidade e Geração de Renda. E como ninguém faz nada sozinha, eu convidei uma equipe TOP de palestrantes para ajudar o nosso público que quer empreender e vê nesse segmento uma oportunidade para aprimoramento de seus negócios.

GT Empreendedorismo, Empregabilidade e Geração de Renda

Tendo em vista o alarmante índice de desemprego no nosso país – hoje somos mais de 13 milhões de desempregados – nossas palestras, seminários, workshops e oficinas estarão direcionadas para o tema empregabilidade. E claro que vamos contar com o total e irrestrito apoio da FIESP – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo que pretende dar continuidade a todos os temas que vamos abordar durante esse dia intenso de trabalho.

Dentre os diversos pontos que serão trabalhados, é possível encontrar tópicos diferenciados que contribuam para o sucesso no empreendedorismo, são eles “A importância da Imagem Pessoal para os seus negócios” – Gisele Gaspar, “O papel do feminino, do medo e do amor próprio na nossa vida profissional” – Fabiana Guntovitch, “Liberdade através do conhecimento” – Renata Ashcar, “Empreendedorismo e impacto social: essa é a nova economia” – Fabíola Fonseca.

Outros temas como “Mulher, o empreendedorismo e sua empregabilidade” – Cláudia Pirani, “Anatomia Emocional do Empreendedor da nova Era” – Roberto Caruso, “A Incrível Habilidade Natural de Vender” – Priscillia Queriz, “Automação versus desemprego. A solução é o microempreendedorismo” – Francescas Giorbbi, “A importância da educação financeira para empreendedores” – Bruno Vendruscolo também serão abordados.

Além disso, “Os primeiros passos para uma vida financeira pessoal e empresarial saudável” – Bruno Vendruscolo, “Telhados Criativos. O empreendedorismo focado na sustentabilidade” – Cris Gouvêa, “Mindset e Mitos do Empreendedorismo” – Allynson Lymer.

Esse é o momento de nós, mulheres, usarmos a nossa voz para discutirmos formas de evoluir e crescer cada vez mais, buscando melhorias para o nosso dia a dia.

Conto com todas vocês! Vamos juntas sair da discussão e partir para a ação!

VOCÊ É NOSSA CONVIDADA ESPECIAL!

O evento é totalmente gratuito. Não perca essa oportunidade única de se aperfeiçoar, aprender e sair da Virada Feminina muito mais segura para poder ser a protagonista da sua própria vida.

LOCAL

A sede deste ano será a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, FIESP, localizada na Av. Paulista, 1313 – São Paulo.

Inscreva-se para não ficar de fora desse evento, diretamente no site da FIESP, e participe dessa super oportunidade: https://www.fiesp.com.br/agenda/virada-feminina/

Vanessa Palazzi é jornalista, advogada, assessora parlamentar há mais de 24 anos, empresária e influenciadora digital do Mulheres de Quarenta, uma rede com mais de 600 mil seguidoras. Mulher de quarenta, casada pela segunda vez e mãe de duas meninas, iniciou escrevendo sobre suas próprias experiências. Ela aborda temas de interesses das mulheres dessa faixa etária, como moda, beleza, estilo de vida, autoestima, relacionamentos, empreendedorismo, entre outras informações.

É palestrante, coordenadora de Empreendedorismo da Virada Feminina e coautora do livro Empreendedorismo Feminino da Editora Gregory.

Add to cart
AN