Dependência afetiva

Ah as mulheres!!! Somos muito mais emoção que razão. Somos todo coração e nos entregamos de corpo, mente e alma em um relacionamento. Você deve estar se perguntando: Mas isso é ruim? Pode ser que sim, pode ser que não. Como tudo na vida é preciso ter equilíbrio e assim também acontece quando o assunto é amor e afetividade.  Principalmente em início de relacionamento, que delícia que é, não é mesmo? Tudo cor-de-rosa, um verdadeiro conto-de-fadas, mas como manter essa chama acesa, esse colorido tão vivo e não se deixar envolver na catastrófica dependência afetiva?

Simples, ame, aproveite, curta, sonhe, viva intensamente o que de mais precioso busca – o amor e a felicidade. Apenas cuide para somar, compartilhar, agregar e não apenas se doar por inteiro e se tornar uma refugiada em coração alheio. Ou correrá o risco de transformar os dias esperados de lua-de-mel em dias intermináveis de lua-de-fel.

São observações simples, porém pontuais a serem vivenciadas. Lembre-se, é condição sine qua non  que seu relacionamento seja saudável, prazeroso e leve. Para Isso, você precisa ter como premissa que você é responsável por sua felicidade. Jamais, em hipótese alguma, terceirize sua  felicidade.

O caso de amor mais importante e inesquecível da sua vida, chama-se – amor-próprio. É de suma importância que antes de amar o outro, você ame a si mesma. A gente só pode dar aquilo que a gente tem. Se esses princípios básicos forem negligenciados, você estará prestes a se colocar às margens em seu relacionamento, isto é, abrindo espaço para criar a dependência afetiva. Exigindo do outro, o que é sua responsabilidade no relacionamento. Se esse comportamento se fizer presente, os resultados estarão trafegando na contramão do amor esperado e do relacionamento idealizado.

Relacionamento saudável requer investimento de ambas as partes, se apenas uma das partes investir 100%, alguém será dependente e essa “conta” simplesmente não vai fechar. Pessoas se relacionam para serem felizes e isso é tudo o que realmente importa.

Gislene Teixeira é pós- graduanda em sexologia – FMABC – Faculdade de Medicina do ABC, coach de relacionamento e consultora erótica.

Sem promessas para emagrecer

Por Gisele Gaspar

Chega de promessas para emagrecer!

Muitas mulheres passam anos tentando emagrecer e, enquanto não conseguem, deixam de aproveitar a vida! Não podemos depender de nada para sermos felizes, só de nós mesmas.

Cada uma de nós tem um ponto forte, pode ser o rosto, o cabelo, o sorriso, as coxas, os seios e temos também o nosso ponto fraco. Descubra os seus pontos. Valorize o que tem de melhor, faça dele o seu ponto focal e procure disfarçar o seu ponto fraco.


Abuse dos acessórios, são ótimos para valorizar sua imagem. Se você só se sente bem de preto porque emagrece, use e abuse do preto, e brinque com a cor na bolsa, no sapato, nas bijous… O cabelo fala e expressa muito sobre a gente, capriche nele. A maquiagem também faz toda a diferença, não precisa ser forte, apenas bem feita.

Quando nos olhamos e nos arrumamos, melhoramos a nossa autoconfiança e autoestima e isso nos traz muitos benefícios, inclusive na saúde. Então, a meta para o próximo ano é: AME-SE!

Beijos e vamos acreditar mais em nós mesmas!

Gisele Gaspar é consultora de imagem da Giz e colunista do Mulheres de Quarenta.

Dor de cotovelo

Homens ciumentosQuem nunca sentiu que atire a primeira pedra. E como dói, não é?

Ainda que tenha sido você que tomou a decisão para o fim do relacionamento, sempre fica alguma coisinha. Não é amor não, na maioria das vezes, é um sentimento esquisito, que a gente não consegue explicar muito bem.

O fato é que a gente sempre se julga melhor do que os outros (ou as outras). Ainda bem, pois isso na verdade mostra que temos autoestima. Ponto para nós!

Depois da separação, quando você ainda não encontrou alguém legal, que te faça feliz, é difícil admitir que a outra já tenha encontrado alguém e que está numa boa.

Mesmo as pessoas mais bem resolvidas sentimentalmente sentem uma pontinha de ciúmes quando sabem que a ex (ou o ex) já está com um novo par. Ai que raiva que dá! rsrsrsrsrs

Mas a verdade é que todos nós temos o direito (e o dever) de sermos felizes. Quando menos se espera, as coisas acontecem. Você conhece alguém bacana, que te dá valor, que te ama de verdade e te aceita do jeito que você é. Se dará certo ou não, o tempo vai te dizer. Mas se você não arriscar, nunca vai saber.

A vida é uma caixa de surpresas, boas e ruins. Sentir dor de cotovelos faz parte. E quer saber? A gente sobrevive, e muito bem. Ninguém morre de amor!

Autoestima em alta!

Roberta é uma mulher fora dos padrões de beleza exigidos hoje pela sociedade. Dona de um sorriso lindo e um olhar encantador, tem um corpo robusto. Curvas acentuadas, seios grandes e um quadril avantajado.

Ela é uma mulher vaidosa. Gosta de se arrumar. Não vive sem maquiagem. Usa roupas adequadas para o seu tipo físico, apesar de estar acima do peso. Os acessórios estão sempre presentes. Brincos, colares, echarpes , sapatos modernos e bolsas coloridas.

Ela se permite ser sensual, do seu jeito. Claro que Roberta não faz o tipo de muitos homens por aí. Mas ela não se importa. É casada. Seu marido valoriza sua personalidade. Ele, assim como ela, aprendeu a aceitá- la do jeito que é.

Na cantina do clube eu frequentemente a encontro fazendo um lanchinho. Nada “light”, diga-se de passagem.

– Acabei de sair da esteira! – Exclama Roberta me oferecendo a coxinha que come com prazer.

Eu gosto da companhia dela. Peço uma água-de-coco e fico por um tempo conversando com a amiga. Gosto de ver como ela se comporta perante a vida. Ela nao se importa com seu tipo físico. Sua autoestima fala mais alto.

Ela é uma mulher segura. Seu marido chega e lhe dá um beijo. Os dois, abraçados, me convidam para uma festa, na mesma noite. Eles se despedem e saem em seguida.

Encostei no balcão, pedi duas coxinhas e uma coca-cola.

– Zero? – Perguntou o atendente.

– Normal. – Disse-lhe segura.

Lembrei-me da minha amiga. Comi sem culpa. Voltei para a casa toda feliz e me preparei para a festa.

Como é bom estar ao lado de pessoas despidas de complexos e culpas. Gente que sabe ser feliz independente de qualquer coisa. Pessoas que se importam em ser e se aceitam do jeito que são.

Viva a autoestima! Eu aprendi a lição.

Add to cart
AN