Plataforma propõe exercícios e meditação para quem quer largar bebida ou cigarro

A pandemia do coronavírus, além de causar a pior crise sanitária dos últimos tempos, também gerou uma série de outros problemas, incluindo o aumento no abuso do consumo de álcool, tendência que já vinha em alta no Brasil. E pensando nisso, o empresário Marcos Tartuci, 47, lançou a startup Dei um Tempo.

O aplicativo, disponível em iOS e Android, centraliza atividades de diferentes naturezas e que teve entre as inspirações o aplicativo de meditação milionário HeadSpace, além de se basear na rotina de atividades criada pelo próprio Tartuci, em 2019, quando foi diagnosticado com transtorno de ansiedade generalizada e alcoolismo.

“Montei um processo que envolvia hábitos regulares de leituras e terapia para o autoconhecimento, meditação, exercícios físicos e também o registro da minha evolução em uma espécie de diário”, diz o empresário, que pelo diagnóstico pediu demissão do cargo de presidente da Cinesystem, e já foi executivo em companhias como a rede de academias Bio Ritmo/Smartfit e o grupo de educação Pearson.

Com foco em quem deseja largar hábitos indesejados, a plataforma atraiu, nos primeiros 15 dias do mês de abril, 17 mil interessados em aderir aos programas de tabagismo e alcoolismo, que visa gerar maior consciência aos adeptos.

“Nunca imaginei que pudesse estar bebendo demais. Eu nunca fui convidado a sair de uma festa ou dei algum vexame. Mas há diferentes graus de alcoolismo e existe uma dificuldade das pessoas reconhecerem isso”, diz.​

Em abril do ano passado, Tartuci começou a reunir o time de profissionais, que incluía programadores e também preparador físico, psicólogo, psiquiatra e nutricionista. Entre o capital pessoal e aplicado por um investidor-anjo, a pesquisa e desenvolvimento inicial custou cerca de US$ 250 mil (ou cerca de R$ 1,3 milhão).

A proposta é realizar uma rotina diária de 15 minutos que inclui meditação, vídeos com recomendações de especialistas e o registro das reflexões sugeridas ao participante. Entre os 12 blocos de conteúdo estão, por exemplo, como lidar com a abstinência e a diferença entre lapso e recaída. Além disso, há uma rede social interna para participantes trocarem suas experiências.

O projeto tem quatro planos, que duram 7, 28, 90 ou 365 dias. O mais curto, por ora, é gratuito; no caso dos restantes, os valores variam de R$ 197 a R$ 1.497.

Agora, a healthtech deve participar de rodadas de captação para desenvolver uma plataforma clínica em que profissionais de saúde poderão fazer acompanhamento dos participantes, além de um marketplace de produtos e serviços.

Informações: Folha de S. Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Add to cart
AN