Como se organizar financeiramente após uma separação?

Eu sempre digo que as mulheres sabem quando o casamento começa a desandar. Se você está junto com a pessoa há mais de dois anos, você percebe que está chegando ao fim muito antes de acabar. A melhor coisa que você pode fazer quando começa a perceber que existe essa chance de uma separação é começar a preparar o terreno. Se vocês continuarem juntos, maravilha! Mas se não der certo, estar preparada é essencial.

E como fazer isso? Primeiro, você precisa conhecer seus números. Você tem que saber qual é o valor mínimo necessário para você se sustentar. Qual é o mínimo para sua necessidade básica que vai ser suficiente para você não precisar recorrer à família, amigos ou a um empréstimo no banco? E você tem esse valor guardado para sobreviver durante um ano?

Depois de saber qual é o valor mínimo necessário, se ainda não tiver uma conta corrente, você vai abrir uma. Pode ser em bancos digitais, que não têm tarifas. Depois disso vai começar a fazer uma reserva de emergência que seja exclusivamente sua para você juntar esse valor que vai te proteger durante um ano caso algo aconteça. Isso vai dar tempo para você se reerguer emocionalmente e financeiramente após uma separação.

Outra coisa que você também precisa pensar é se tiver filhos. Caso você tenha, também precisa calcular qual é o mínimo necessário para você arcar com as suas responsabilidades como mãe, mesmo que o pai pague a pensão.

O que acontece muitas vezes em separações em que o homem é o pilar financeiro, é que a mulher fica perdida durante alguns meses em relação às finanças. Eu tive um caso há alguns meses de uma cliente que se separou e o ex-marido levou tudo que ela tinha. A única coisa que ficou foi um aluguel. Ela não tinha conta corrente, não sabia as senhas do cartão, nada. Então ela precisou se reconstruir do zero. Porque assim como aconteceu com ela, acontece com várias outras mulheres. O marido bloqueia cartão de crédito, começa a bloquear as contas e você fica sem saber quanto tem.

Outro ponto muito importante de analisar é o regime do casamento. Porque isso vai contar muito na hora da separação. Você vai ter direito a receber 50% de tudo que construíram juntos? Ou é tudo dele? Se tiver direito aos 50%, você sabe se vai estar ‘herdando’ alguma dívida? Essas são perguntas essenciais que você precisa saber – e não só em casos de separação, mas da vida de casados! E isso não é desconfiança, é você saber os riscos que está correndo. Porque mesmo que vocês continuem casados, caso haja dívidas grandes, vocês vão precisar lidar com isso juntos.

Eu sei que muitas mulheres não têm acesso aos números porque o marido não deixa. A minha dica para quem está nessa situação é: pegue um caderno e chame seu marido para conversar e fala assim “amor, esses são os meus objetivos para nós e para nossa família nos próximos 5 anos”. Existem duas reações que acontecem geralmente: ou o marido vai se assustar e dizer que não pode conversar naquele momento ou ele vai sentar e falar “vamos conversar, também estava pensando nisso”. Na primeira reação pode ser que ele tenha mesmo sido pego de surpresa e vai retomar o assunto depois, ou ele não vai mais trazer a tona. E na segunda podem ter duas opções. A positiva: ele também quer tentar salvar o relacionamento. Ou a negativa: ele quer saber o que você está querendo para na hora da separação saber o que você vai pedir.

Dar início a conversa pode ser interessante porque você vai conseguir ter a visão da outra pessoa. Para que ângulo ele está olhando? Juntos ou separados? Ele vai de carreira solo? Esse preparo pode trazer para a mulher uma segurança emocional. Quando você conhece os números você tem uma segurança emocional para falar sim e para falar não. Existem inúmeros casos de mulheres que continuam em uma relação infeliz e às vezes até agressiva porque não tem segurança dos números. Ela não sabe se tem condições financeiras de sair daquele relacionamento.

Mas caso você não consiga se preparar e o fim do relacionamento venha como uma surpresa, você vai precisar fazer passos muito parecidos com os da preparação. Você vai precisar anotar todos os seus números: quanto e com o que você gasta. Qual é o mínimo suficiente para você se sustentar? Quanto você recebe? É suficiente para pagar tudo isso? Se não for, você vai precisar dar um passo para trás e reorganizar sua vida de maneira que seus gastos caibam dentro da sua receita. Vai rever seus gastos, ver o que dá para cortar, o que dá para diminuir. E começar uma reserva de emergência. Eu sou estrategista financeira e posso te ajudar! Basta entrar em contato comigo no instagram @jenni.invest4u ou no meu site www.invest4u.com.br

Texto por Jenni (@jenni.invest4u)

Jenni, curitibana, casada com o Tuk, mãe da Bella Valentina de 4 anos, administradora de empresas, pós-graduada, educadora, planejadora financeira e diretora da Invest4u. Sempre amei planejar, mapear, calcular. Estudava muito sobre como montar e identificar as melhores estratégias para carteiras de investimentos. Ver o dinheiro dos meus clientes brilhava os meus olhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Add to cart
AN