Conquiste a prosperidade que você deseja!

Por Gisela Campiglia

Por que será que você se esforça tanto para ganhar mais dinheiro, mas não consegue alcançar resultados satisfatórios? Para obter crescimento financeiro é preciso trabalhar também o autoconhecimento, porque antes de se manifestar na falta de dinheiro, a ausência de prosperidade tem uma raiz interna.

De acordo com a lei universal da atração, nossas crenças constroem a nossa realidade. Isso ocorre porque cada crença emana ondas eletromagnéticas para o universo que atraem pessoas e situações que estão em sintonia com essa vibração. A crença no bem, traz o que é bom em nossa vida. A crença no mal, traz problemas e dificuldades em nosso caminho.

Se você perguntar a qualquer pessoa, se ela acredita no bem ou no mal, a resposta será: “ – Eu creio no bem! ” No entanto, se enganar a respeito do conteúdo de nossas crenças é muito fácil, porque muitas delas são inconscientes. Descobri que as frases que verbalizamos revelam o verdadeiro teor de nossas crenças. Sem perceber, adotamos como verdade em nossa vida expressões que resultam na escassez de recursos financeiros.

Repare se você tem o hábito de usar as seguintes frases:
“ – A vida é difícil, a vida é muito dura! ” Ao decretar que a vida é dura, qualquer facilidade será desviada do seu caminho, porque para você a vida tem que ser difícil, essa é a sua crença.

“ –  É muita areia para o meu caminhãozinho! ” Receber o mínimo, ou o suficiente, será o máximo que você vai conseguir, porque a abundância é muito pesada para o seu caminhãozinho. Essa frase esconde a crença na falta de merecimento pessoal, ou seja, uma autoestima fraca.

“ – Dinheiro voa! Dinheiro na mão escorrega como sabão! ” Mesmo quando você consegue economizar um pouco de dinheiro, ele não permanece com você. Alguma coisa acontece para que ele escape das suas mãos, essa é a sua lei, essa é a sua realidade.

“ – Dinheiro não traz felicidade! ” É Claro que você deseja a felicidade, logo não poderá ter dinheiro sobrando, porque a sua concepção sobre o dinheiro é que ele não traz felicidade. Esta crença classifica o dinheiro como algo negativo, um verdadeiro perigo.

Quando a pessoa atua com base em um sistema de crenças limitantes, por mais que ela invista tempo e esforços para melhorar sua situação financeira, não consegue alcançar bons resultados. O desejo de ser próspero financeiramente precisa estar alinhado a crença de que dinheiro é bom, e que você merece ter dinheiro sempre sonbrando . Faça uma autoanálise, verifique se suas crenças em relação ao dinheiro estão colaborando para que você alcance a prosperidade financeira que deseja.

Gisela Campiglia

Formada em psicologia, física quântica, bioenergia e metafísica. Trabalha com desenvolvimento pessoal, promove palestras, escreve artigos e é colunista do Mulheres de Quarenta.

 

Como cuidar do seu dinheiro

Ai, como é difícil, não é mesmo?

Qual a mulher que não se empolga em fazer umas comprinhas, mesmo quando não está precisando? Eu sou um ótimo exemplo. Sempre acho que falta alguma coisa no meu armário. Dia desses  eu cismei que precisava de um sapato de salto preto. E é claro que eu tenho, no mínimo, uns 5 pares no armário. Um de salto 5cm, um de 7cm, um de 10cm, um com bico fino, outro quadrado…são tantos que eu perdi até a conta.

Por fim, na minha teimosia em achar que eu precisava muito de um sapato preto, acabei comprando por impulso. E confesso, ainda nem tive tempo e oportunidade de usar o meu sapato novo! Quer saber? A verdade é que eu não precisava dele mesmo!

Bem, mas o que posso dizer, é que diante dessa minha “mania” de comprar, mesmo sem precisar, recebi umas orientações da Ana Munhoz, uma consultora em finanças que tem um curso super legal para quem não só quer, mas “precisa” dar uma controlada nos seus gastos.

E tem sido através do seu curso Tranquilidade Financeira, que estou reaprendendo organizar as minhas receitas e as minhas despesas. E não é que esse mês sobrou um dinheirinho?

Compro ou não compro um novo sapato preto? kkkkk

Bom, brincadeiras a parte vejam algumas dicas que a Ana Munhoz nos deu! Espero que gostem!

“Como se preocupar menos com o dinheiro?

Entenda como funciona e crie um plano para ele. Simples assim.

Enquanto você insistir em não  aprender a cuidar da sua vida financeira definitivamente, não terá tempo para cuidar de todo o resto da sua vida, ficará assim com o seu potencial de prosperidade limitado.

O conceito de prosperidade é bem bacana, significa desenvolver plenamente suas habilidades a fim de impactar positivamente as pessoas a sua volta e a sua comunidade.

Na verdade o grande propósito do ser humano não é ser feliz como muitos pensam, mas sim ser próspero, (desenvolver suas habilidades para ser útil), a felicidade é um prêmio que recebemos do universo por nos sentirmos úteis, presentes e colaborando, por nos empenharmos e nos esforçarmos em prosperar.

Então eu estou dizendo que para ter mais felicidade você tem que ter mais dinheiro?

Nãoooooo!!!!!

O que quero te falar aqui hoje é que o dinheiro é apenas uma ferramenta, um meio, um recurso para te ajudar a prosperar, (mas não é o único) e aí quando você prosperar se sentirá feliz.

Muita gente se confunde nessa equação sutil, (é aqui que se inicia a confusão) e parte para uma simplificação equivocada, onde se retira a parte de desenvolvimento da prosperidade (a parte onde exige esforço) achando que isso será um atalho para a felicidade,e concentra-se em buscar mais dinheiro para alcançar a felicidade, mas não é assim que funciona.

Dinheiro pode comprar os símbolos de conforto, mas conforto é diferente de felicidade.

Segundo uma pesquisa realizada em 2010,  na Universidade de Princeton, nos Estados Unidos por Angus Deaton e Daniel Kahnemam (prêmios Nobel de economia em 2015 e 2002 respectivamente), “aumentar a renda indefinidamente, não aumenta a felicidade indefinidamente”.

O que essa pesquisa comprovou foi que a partir do momento que você tem suas necessidades básicas satisfeitas, o dinheiro contribui pouco para a sua felicidade.

Nesse momento o que entra em campo para aumentar a sua felicidade é desenvolver a sua prosperidade.

É por isso que digo e repito lá no Blog DesenvolviMentes, se você atualizar a sua forma de pensar sobre o dinheiro e aprender a agir de forma diferente com ele, você terá tempo para prosperar, terá tranquilidade financeira,terá mais qualidade de vida e potencialmente mais felicidade.

Como se faz isso?

Começando a reaprender sobre dinheiro.

O mundo vem mudando muito rápido e a forma como você aprendeu a cuida do seu dinheiro também precisa mudar, precisa ser atualizada, pois como você já deve ter percebido ela não funciona tão bem como antes.

A boa notícia é que hoje existem novos métodos, novas estratégias e novas ferramentas que nos auxiliam muito a tornar os cuidados com nosso dinheiro cada vez mais fáceis, automatizados e mais eficientes.

Hoje em dia você tem como criar o seu próprio plano de Liberdade Financeira totalmente de forma independente e com isso conseguir se aposentar muito antes que o governo ou que os grandes bancos planejaram para você.

Mas para isso você tem que sair da zona de conforto e começar a aprender a  atualizar a suas forma de cuidar do seu dinheiro.

Foi por isso que eu criei o curso Tranquilidade Financeira, um curso onde eu ajudo mulheres e homens a se empoderar financeiramente, organizando não só a sua vida financeira mas também criando um plano de investimentos personalizado para atingir seus reais objetivos de vida.

A Ana Munhoz tem 3 Dicas Financeiras que realmente funcionam! Basta clicar aqui!

Comece agora mesmo a mudar a sua realidade!

Ana Munhoz

Vampiros brasileiros

BEIJO-~1Tenho ouvido alguns casos por aí que me deixam perplexa. Mulheres bem sucedidas e independentes – geralmente com filhos e contas para pagar – que “adotam” homens maduros e desocupados. Ou melhor, desempregados.

No início eles se vendem muito bem. São donos de projetos mirabolantes. Dizem-se os melhores negociantes. Têm ideias para tudo, e parecem praticamente geniais. Eles sabem aconselhar muito bem e têm solução para quase tudo.

O homem que você conheceu é tão encantador que você não hesita em nenhum momento e o leva para sua casa. Quando você se dá conta ele já está devidamente instalado. Já usa uma parte do seu armário, deixa os sapatos largados na sala e usa a sua escova de dentes. Mas tudo bem! Ele te trata como ninguém. E acima de tudo ele é muito bom de cama.

Ele dirige seu carro e te leva para jantar, mas na hora de pagar a conta algo sempre acontece. A desculpa geralmente é a mesma. Ele diz que esqueceu a carteira em algum lugar. Essa é uma das suas especialidades. Você se penaliza e trata de arrumar tudo pra ele. Ele também adora viajar. Com o seu dinheiro, é claro!

Como ele se diz um excelente negociante você lhe confia sua conta, seus dados bancários e seu nome. E quando você se dá conta, minha amiga, você literalmente já era! E depois não adianta culpar os outros pelos erros que você mesma cometeu.

Cuidado com esses vampiros! Eles são extremamente sedutores, mas sugam muito mais do que apenas o seu sangue! Levam seu dinheiro, seu nome e sua honra.

Vampiro brasileiro? Bahhh!

vampiros_ian_somerhalder

 

E agora? Está melhor?

(Colaboração de Priscilla Kabakian)

Ouvimos muito esta frase quando vamos ao oftalmologista. E como vamos depois dos 40! As letras e números continuam os mesmos. O que muda apenas é a lente com a qual enxergamos o que está bem ali na nossa frente. 

Na última vez que passei por essa experiência, me receitaram novos óculos. Isso há mais de um ano. Evitei fazer esse novo investimento por um tempo. Pra que gastar um monte de dinheiro e ter que assumir que o “braço está ficando curto”? 

Mas percebi que esse item virou resolução de ano novo e, há pouco menos de um mês, lá fui eu passar pelo “assim ou assim?” novamente. “E agora? Está bom?” dizia a oftalmo enquanto mudava aquelas letrinhas minúsculas na parede. Nossa, parece que elas realmente diminuíram de tamanho!

Naquela mesma semana, recebi um convite especial para um jantar, de uma pessoa que está indiretamente na minha vida há muito tempo.  Lá fui eu com meus óculos novos – de leitura mesmo – não aqueles lindos (e caros) de sol…. Confesso, eu me rendi!

Durante o jantar, como num passe de mágica, aquela lente mudou tudo! Comecei a enxergar aquele homem de outra forma. Tentava enxergar longe quando tudo estava tão perto. Parei para pensar um pouco sobre a minha vida. Muitas coisas vieram na minha cabeça.

Depois da minha separação, há 3 anos, queria encontrar um grande amor. Procurei em vários lugares, situações e momentos diferentes.  Muitas coisas mudaram. Fiquei mais segura como mãe solteira –  ou divorciada – como preferirem.  Grandes mudanças profissionais aconteceram. As amigas que não eram tão amigas se tornaram fundamentais na minha vida. Outras amigas, que eram muito mais amigas, já não estão tão próximas. Talvez as lentes dos 40 anos me ajudaram a enxergar isso melhor.

Agora, de óculos novos e com um grande amor, sinto-me mais feliz. Sei que mesmo se meus óculos quebrarem, meu novo amor vai me conduzir pelo caminho certo. É isso que eu espero. Estou certa também que terei amigas queridas compartilhando das minhas alegrias e vibrando com o que estou sentindo.

“Assim ou assim? E agora? Está melhor?” Acho que a vida é assim mesmo, as coisas são como elas são. Nós temos que mudar a forma de enxergar, ainda que os óculos novos nos ajudem nessa tarefa.

Que cada uma de nós encontre a forma mais feliz de ver o mundo! Sim, eu uso óculos!

Add to cart
AN