O universo sempre conspirará ao seu favor

É muito difícil segurar as lágrimas quando elas vêm aos olhos, já abrimos mãos de inúmeras coisas para ver os outros felizes, e nem sempre somos retribuídas como deveríamos.

Nossas vidas são constantemente marcadas por lágrimas e lutas, na maioria das vezes os dois andam juntos, em momentos a luta é tanta que nem nos cabe tempo para chorar.

Mas a vida sempre se encarrega ao seu melhor, as lutas de hoje serão os momentos felizes que viveremos lá na frente, cada lágrima derramada será recompensada em um determinado momento, pois aquilo que é planejado para você, será seu!

Um grande escritor, jornalista brasileiro e membro da Academia Brasileira de Letras, Paulo Coelho, diz uma frase que reflete bastante esse aspecto, “Quando você quer alguma coisa, todo o universo conspira para que você realize seu desejo”.

E apesar de tudo o que passamos, o universo retribui e conspira ainda mais ao nosso favor, uma mulher jamais baixa a cabeça atoa. Tudo que foi derramado será retribuído, Deus sabe de tudo, uma maçã não cai de uma árvore sem que Ele permita.

Então saiba que você é forte, às vezes o fardo parece pesado, é exausto sim! Porém o retorno lá na frente é gratificante e as lágrimas que escorrerão será de missão cumprida, que você chegou lá.

E para você que faz essa mulher chorar, tem uma outra frase do Paulo Coelho que diz: “Cuidado ao fazer uma mulher chorar. Deus está contando suas lágrimas”, então saiba que elas são bastante protegidas por Ele.

Créditos: https://osegredo.com.br/paulo-coelho-cuidado-ao-fazer-uma-mulher-chorar-deus-esta-contando-suas-lagrimas/

Precisamos falar sobre gordofobia!

Em uma sociedade cheia de preconceitos, como a nossa, um deles é a gordofobia: quando pessoas ditas como “gordas” são tratadas preconceituosamente. Um dos grandes intensificadores desse ato, é que ele é normatizado por todos.

Enquanto alguns outros tipos de injúria e violência são considerados crimes, a gordofobia é tratada com risadas e sem grande importância. Muitas vezes, ela é até velada como forma de preocupação pela saúde da pessoa em questão, com comentários como: “Nossa, você ficaria tão mais saudável se emagrecesse” e “você está alguns quilinhos acima, cuidado com a saúde”.

Alexandra Gurgel realiza um movimento em prol da quebra de padrões

É claro que quando você está obeso, por exemplo, há riscos na saúde que você precisa estar atenta. Porém, a questão não é essa. O grande foco é que temos um padrão de peso em nossa sociedade, que tenta impor constantemente para todas as pessoas. Sendo assim, muitos não conseguem te ver como uma mulher bonita se estiver um pouco acima do exigido pelas pessoas.

Cantora Adele

Precisamos parar de achar normal uma “piadinha” com alguém sem o peso exigido como ideal. Temos que entender que cada pessoa tem a sua beleza a seu modo.

O padrão do corpo feminino já mudou bastante em todos esses anos, e se hoje dizem que lindo é ser magérrima, anteriormente, diversos outros pesos já foram apontados como os ideais de beleza.

Cantora Maiara, da dupla Maiara e Maraisa

Se alguém praticar gordofobia com você, lembre-se de quem você é e qual a SUA opinião sobre seu corpo. Está feliz com o peso atual? Se sente linda? Está saudável? Então é isso o que importa.

Cleo Pires, com 37 anos, desabafou recentemente sobre o excesso de julgamento por ela ter engordado

O número que está na balança só interessa a você, e ninguém tem nada a ver com isso.

Agora, se você percebe que tem um preconceito com pessoas ditas como mais gordas, coloque a mão na consciência. Pare e veja o que você tem feito. Por que você tem essas crenças? Por que você ofende os outros? Não é legal fazer piada com o peso alheio. Comece a trabalhar para tirar esse preconceito enraizado em você.

Nós mulheres precisamos nos apoiar. Vamos juntas tornar o mundo um lugar melhor!

Por: Jéssica Mayara (@jessica.mjornalista) – jornalista, atua com produção de conteúdo para sites e redes sociais.

Como anda a sua autoestima?

Quando falamos de autoestima, para muitas pessoas pode parecer algo natural tê-la elevada, mas será que é mesmo? Estamos aqui hoje para falar que não, e muitas vezes você pode até achar que tem uma autoestima nas nuvens, mas na verdade, você pode estar é não enxergando a falta de amor que tem tratado si própria.

Para lidar com isso, é importante que primeiramente você consiga identificar quando e como uma pessoa está com a autoestima baixa, para poder olhar para dentro de si mesma e verificar se está se encaixando nesse padrão.

Separamos 5 ações que demonstram casos do tipo para você ficar atenta:

1 – Sentir-se culpada constantemente

Nada demais aconteceu, porém qualquer pequeno problema você já começa a sentir que a culpa é sua e que você está errada.

2 – Busca excessiva por elogios

Pessoas que vivem procurando formas de serem elogiadas, muitas vezes, são aquelas que menos acreditam em si mesmas.

3 – Viver se comparando a outras pessoas

Quando constantemente vivemos comparando detalhes de outras pessoas com a gente, é porque no fundo, queremos ter alguma comprovação de que somos bons em algo, por não acreditarmos nisso.

4 – Não conseguir lidar com críticas

Se críticas te abalam excessivamente, é porque no fundo você acaba acreditando em tudo o que de ruim que falarem de você.

5 – Excesso de autocrítica

Quando nos criticamos de forma árdua, nunca acreditando que algo que fazemos está bom, é porque no fundo nós já não acreditamos em nosso potencial e habilidades.

Como lidar?

Em casos como os citados acima, a primeira forma de lidar é reconhecendo que estamos com baixa autoestima, para então buscar formas de resolver. Olhe para dentro de si e veja o grau de cada um desses sintomas e o quanto te afeta.

Você pode começar a tratar casos como esse com tarefas básicas no dia a dia, como cuidando mais de si mesma (interiormente e fisicamente), fazendo uma lista de suas inúmeras qualidades, fazendo autoafirmações de manhã sobre tudo o que você é de positivo… E claro, desabafando com pessoas de confiança.

Além disso, sempre ressaltamos no Mulheres de Quarenta que caso você não consiga resolver qualquer um desses tipos de problema, para procurar ajuda especializada, seja de um psicólogo ou algum tipo de terapia alternativa. Fique atenta!

Os perigos dos alimentos processados

Os mercados, fast foods, lanchonetes, oferecem cada vez mais opções de alimentos processados e ultraprocesssados. Estes alimentos são práticos, porque já estão prontos para o consumo, muito palatáveis e extremamente viciantes. Agora, o que muita gente não sabe é que por traz destes pacotes, estão substâncias muito nocivas à saúde e de nutrientes que é bom, nada!!

Alimentos processados e ultraprocessados que aqueles que são submetidos a vários processos tecnológicos, elevadas temperaturas, com adição de altas concentrações de sal, açúcar, gordura e substâncias químicas (conservantes, corantes e aditivos). Com muitas calorias procedentes de carboidrato e gorduras, pobres em proteínas, vitaminas, minerais e fibras.

Sendo assim , quando consumidos com muita frequência e quantidade podem aumentar o risco de obesidade, Diabetes II, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e câncer.

Abaixo, sugiro algumas substituições mais saudáveis, que apesar de dar um pouquinho mais de trabalho para elaborar, vão oferecer muito mais saúde para você e sua família!! Pense nisto e faça a troca!!!

 

OPÇÕES DE SUBSTITUIÇÕES DE ALIMENTOS ULTRAPROCESSADOS PARA SAUDÁVEIS

ULTRAPROCESSADOSOPÇÕES SAUDÁVEIS
Salgadinhos de milho (fandangos)Espiga de milho

 

Batata chips e salgadinhos de batata doceRaízes (mandioca, batata doce)
Embutidos (presunto, salame, salsichas)Ovos

 

Nuggets, almôndegas, hambúrgueres congeladosFilé de frango, peixe

 

Biscoitos recheadosFrutas naturais, desidratadas
Pães recheadosCoco fresco, mix de vegetais (cenoura, pepino, tomate)
Macarrão instantâneoMacarrão com molho de tomate natural
Sopa industrializadaSopas caseiras (frango, batata, couve, cenoura)
Bolos industrializadasBolos caseiros (aveia, ovos, leite, etc.)
Queijos e pasta /cremes prontosPatês de frango, berinjela grelhada
ManteigaAzeite de oliva
Refrigerantes e sucos artificiais (caixinha e em pó)Água de coco e sucos de fruta natural
Temperos prontosCebola, alho, salsinha, cebolinha

 

Roseli Rossi  é  colunista do Mulheres de Quarenta. Nutricionista formada pelas Faculdades Integradas São Camilo (CRN 2084 /1983), com título de Especialista em Nutrição Clínica concedido pela ASBRAN – Associação Brasileira de Nutrição. Pós Graduada nos cursos de especialização de Planejamento, Organização e Administração de Serviços de Alimentação; Fitoterapia Aplicada à Nutrição Funcional e Nutrição Ortomolecular com Extensão em Nutrigenômica. É Diretora da Clínica Equilíbrio Nutricional e autora dos Livros: “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Infantis, “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Diet e Light Volumes I e II, Colaboradora do livro Nutrição Esportiva – Aspectos relacionados à suplementação nutricional e autora do Livro “As Melhores Receitas Light da Clínica Personal Diet”

Como melhorar a sua gastrite

 

A gastrite é uma inflamação na mucosa gástrica (parede do estômago) que pode ser classificada de dois tipos, crônica e a aguda. Esta inflamação esta cada vez mais prevalente, independente do sexo e idades, podendo algumas vezes ser diagnosticada ou não.

A mucosa do estômago contém células especiais que produzem o ácido e enzimas, que ajudam a quebrar o alimento para a digestão, e muco, que protege o revestimento do estômago de ácido. Quando o estômago está inflamado, produz menos ácido, enzimas e muco.

A forma aguda aparece repentinamente, causando o aparecimento de sintomas como dor no estômago, queimação, náuseas e vômitos, permanecendo por cerca de dois ou três dias, podendo ser desencadeada principalmente  por anti-inflamatórios, remédios à base de ácido acetilsalicílico, estresse, maus hábitos alimentares, jejum prolongado e  ingestão de álcool.

A gastrite crônica não erosiva é causada em 95% dos casos por infecção pelo Helicobacter pylori (H. pylori) O H. pylori é uma bactéria que infecta a parede do estômago, é transmitido principalmente de pessoa para pessoa. Em áreas com falta de saneamento, também pode ser transmitido através de água ou alimentos contaminados. A gastrite crônica é considerada a segunda mais prevalente do homem e a única maneira para identificar é através do exame feito por endoscopia ou biópsia.

Além da gastrite diagnosticada, existe a subclínica, que está presente no dia a dia do indivíduo, causa em certo incômodo estomacal, mas geralmente as pessoas não dão tanta importância e começam a se automedicar, com drogas popularmente conhecidos. Contudo, não é certo ingerir qualquer tipo de medicamento sem conhecimento médico. O uso contínuo de antiácidos mascara os sintomas da gastrite e desconfortos gástricos, lesionando aos poucos a mucosa estomacal, podendo ocasionar efeitos colaterais mais severos de médio em longo prazo. Além de que, a absorção de alguns nutrientes é prejudica.

Existe também a gastrite nervosa, que é quando a pessoa sente dores e depois de feitos todos os exames não é encontrado nada e está relacionada com a dispepsia funcional (distúrbio no aparelho digestivo, dificultando a digestão dos alimentos) e o refluxo (retorno do ácido gástrico do estômago para o esôfago), ocorrendo defeito na válvula que tem a função de controlar a passagem dos alimentos de um órgão para o outro, causando assim muita azia e queimação no estômago que, em ambos os casos, podem surgir por diversas situações estressantes do nosso dia a dia.

Causas da gastrite

A causa mais comum de gastrite erosiva, aguda e crônica, é o uso prolongado de antiinflamatórios não-esteróides (AINEs) como aspirina e ibuprofeno. Outros agentes que podem causar gastrite erosiva são o álcool, cocaína e radiação. Lesões traumáticas, queimaduras graves, doença crítica e cirurgia também podem causar gastrite erosiva aguda. Este tipo de gastrite é chamado gastrite de estresse.

As causas menos comuns de gastrite erosiva e não erosiva são: doenças autoimunes, em que o sistema imunológico ataca as células saudáveis no revestimento do estômago, algumas doenças e desordens do aparelho digestivo como doença de Crohn e anemia perniciosa, viroses, parasitas, fungos e bactérias diferentes do H. pylori.

Crises ocorrem muito frequentemente após ingestão de alimentos específicos para os quais o indivíduo já tem sensibilidade aumentada, comer muito rapidamente, além do excesso de consumo de álcool e tabaco.

Tratamento

O tratamento medicamentoso consiste em fármacos que reduzem a quantidade de ácido no estômago com a finalidade de aliviar os sintomas que porventura acompanhem a gastrite e promova a cura do revestimento do estômago. Estes medicamentos são geralmente: antiácidos, bloqueadores H2 da histamina e inibidores da bomba de prótons (IBPs). Cuidado com o uso prolongado desses remédios que podem ser prejudiciais ao estômago, dificultando a absorção de nutrientes como B12, ferro, ácido fólico e zinco, além de estar relacionado com câncer de estômago.
O tratamento nutricional é basicamente igual independente do tipo de gastrite. O tratamento consiste em evitar alimentos irritantes e estimulantes de secreção gástrica, recuperar a mucosa gástrica, evitar o avanço das lesões e proteger a mucosa gástrica.

  • A alimentação deve ser feita em ambientes calmos e a mastigação lenta, para facilitar a digestão;
  • Fracionamento de cinco a seis refeições diárias, não ficar mais de 3 horas em jejum;
  • Os alimentos devem ser mais abrandados, ou seja,  cozidos e ingeridos em temperatura morna para que proporcionem uma digestão mais facilitada e recuperação da mucosa gástrica.
  • Água, chás e água de coco natural são essenciais. Usar os chás de espinheira santa, camomila, erva doce, gengibre ajudam o tratamento e aliviam os sintomas;
  • Consumir frutas ou sucos de frutas. Só devem evitar as frutas ácidas, aqueles que têm sensibilidade, não é regra;

  • Consumir bebidas vegetais à base de arroz, aveia, castanhas, coco, amêndoas, inhame;
  • Consumir uma alimentação mais alcalina, rica em verduras, legumes, sucos verdes (couve, espinafre, limão, gengibre), cereais integrais, tubérculos (batata doce, mandioca, inhame, batata, beterraba, cenoura, abóbora);
  • Consumir gorduras boas – com ação anti-inflamatória: provenientes de peixes, sementes, azeite de oliva e óleo de coco;
  • Carnes magras desfiadas, picadas, moídas, cozidas, assadas, grelhadas e de preferência brancas;
  • Promoção de uma microbiota saudável.

Alimentos a serem evitados

Todos os alimentos que possam causar desconforto gástrico, entre eles destacam-se:

  • Condimentos (pimenta-do-reino e a vermelha);
  • Álcool, refrigerantes e doces carboidratos refinados (farinha de trigo, açúcares);
  • Alimentos estimulantes, como café, chá mate, chá preto, chocolate;
  • Temperos industrializados, como caldo de carne, maionese, molho tártaro, extrato ou molho de tomate, molho de soja (shoyo), molho inglês, molho de salada;
  • Linguiça, salsicha, patês, salame, mortadela, presunto, bacon, carne de porco, carnes gordas, alimentos enlatados e em conserva;
  • Alimentos gordurosos e frituras em geral;
  • Doces concentrados (goiabada, marmelada, doce de leite, cocada, pé-de-moleque, geléia, compotas);
  • Leite e derivados;
  • Goma de mascar;
  • Devem ser excluídos os alimentos alergênicos ou intolerantes, de acordo com a  avaliação individual.

É fundamental seguir o tratamento nutricional para gastrite, só a medicação não é suficiente para que o tratamento seja  eficaz  até chegar a cura desta inflamação.

Roseli Rossi  é  colunista do Mulheres de Quarenta. Nutricionista formada pelas Faculdades Integradas São Camilo (CRN 2084 /1983), com título de Especialista em Nutrição Clínica concedido pela ASBRAN – Associação Brasileira de Nutrição. Pós Graduada nos cursos de especialização de Planejamento, Organização e Administração de Serviços de Alimentação; Fitoterapia Aplicada à Nutrição Funcional e Nutrição Ortomolecular com Extensão em Nutrigenômica. É Diretora da Clínica Equilíbrio Nutricional e autora dos Livros: “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Infantis, “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Diet e Light Volumes I e II, Colaboradora do livro Nutrição Esportiva – Aspectos relacionados à suplementação nutricional e autora do Livro “As Melhores Receitas Light da Clínica Personal Diet”

 

Como aumentar o benefício das sementes

As sementes e os frutos secos – nozes, castanhas, pinhões, amêndoas e outros semelhantes – são ricos em nutrientes, gorduras saudáveis e fibra e têm muita importância na dieta alimentar que escolhemos. Mas, se você as consome, seria bom que soubessem como aumentar seus benefícios à saúde.

Como assim ??

Normalmente a gente consome sementes como nozes e amêndoas, tostadas, em açúcar ou sal, ou misturadas com outros alimentos, mas, saiba que o processo de tostar – levar ao forno – lhes retira uma grande parte dos seus óleos naturais, que são uma de suas maiores riquezas.

Para evitar esta perda talvez você possa começar a consumi-las cruas, ou tostar em casa (forno baixo – 50graus), com um óleo de boa qualidade (azeite de oliva extra virgem e consumidas de imediato ou armazenar em pote de vidro bem fechado em lugar fresco e sem luminosidade).

Para tirar o maior proveito da riqueza nutricional das sementes de oleaginosas o indicado é você colocá-las, cruas, de molho em água, por várias horas (ou toda a noite, para usá-las no dia seguinte).

O fato de se colocar as sementes de oleaginosas de molho durante horas vai reduzir seu conteúdo em ácido fítico, que é a forma em que essas plantas armazenam o elemento fósforo.

Quando há muito ácido fítico no alimento – caso das sementes oleaginosas, grãos e leguminosas em geral – o fósforo, nessa forma, sequestra outros elementos que são importantes para a nossa nutrição e estes – ferro, zinco, cálcio, magnésio, manganês – ficam indisponíveis para a absorção pela mucosa intestinal e, portanto, indisponíveis para nosso uso.

A carência desses elementos sequestrados resulta em problemas de desnutrição acentuada apesar da ingestão de quantidades adequadas do alimento e, consequentemente, em problemas de saúde como, por exemplo, a osteoporose (quando há carência de magnésio e cálcio).

Claro que se você só consome um ou outro punhado de amêndoas, ou nozes, como aperitivo (e é uma delícia!), a quantidade de ácido fítico que entrará no seu sistema não será significativa, mas, se você come das oleaginosas diariamente, então já poderá se tornar um problema.

Todo o problema decorre de que nosso organismo não sintetiza a enzima fitase, que rompe o ácido fítico e que é sintetizada por alguns animais, mas, podemos conseguir enzimas suficientes pela ativação dos frutos secos pelo molho prolongado, a germinação ou a fermentação, que são processos naturais.

Os frutos secos – nozes, amêndoas, castanhas e seus similares – contêm inibidores enzimáticos que são produzidos naturalmente e que previnem a germinação prematura destas sementes. Então, todo o processo é para quebrar esse circuito de inibição da germinação.

Essas sementes possuem tais inibidores enzimáticos pela necessidade que a planta tem de esperar melhores condições de germinação para que se possa reproduzir – isso tem a ver com calor e umidade ambientais – mas, esse é um processo que não é benéfico quando nos alimentamos delas.

Roseli Rossi  é  colunista do Mulheres de Quarenta. Nutricionista formada pelas Faculdades Integradas São Camilo (CRN 2084 /1983), com título de Especialista em Nutrição Clínica concedido pela ASBRAN – Associação Brasileira de Nutrição. Pós Graduada nos cursos de especialização de Planejamento, Organização e Administração de Serviços de Alimentação; Fitoterapia Aplicada à Nutrição Funcional e Nutrição Ortomolecular com Extensão em Nutrigenômica. É Diretora da Clínica Equilíbrio Nutricional e autora dos Livros: “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Infantis, “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Diet e Light Volumes I e II, Colaboradora do livro Nutrição Esportiva – Aspectos relacionados à suplementação nutricional e autora do Livro “As Melhores Receitas Light da Clínica Personal Diet”

 

Hidratação e saúde

Por Roseli Rossi 

A água representa em média cerca de 60% do corpo humano, sendo que o músculo é constituído de 70% e o tecido adiposo de apenas 20 a 30%, por isso quanto maior a quantidade de massa magra maior o volume de água corporal no organismo.

Ela também está presente de maneira essencial no sangue, na linfa, em secreções e em todas as células do corpo. É o veículo de transporte de nutrientes para as células e de eliminação de substâncias que o organismo não utilizará. Além disso, é responsável por regular a temperatura corporal, contribuir para o bom funcionamento renal e intestinal (evita cálculos renais e constipação) e diminuir o atrito das articulações.

Além disso, a água também interfere em outros mecanismos muito importantes, pois é responsável pelo transporte de oxigênio para os músculos através dos glóbulos vermelhos do sangue, por eliminar o dióxido de carbono pela respiração e regular a pressão arterial para o bom funcionamento do coração e da circulação.

Em pessoas saudáveis a ingestão de água é controlada fisiologicamente pela sensação de sede, porém não é correto beber água somente quando isso ocorre, já que é um sinal indicador de desidratação.  A ingestão adequada de água é essencial para a manutenção da saúde, sendo que a recomendação diária para um adulto é de 2,0 a 2,5 litros por dia. Durante a lactação a necessidade aumenta de 600 a 700ml/dia, devido a produção de leite.

Beautiful young girl drinks water from glass isolated on white

A necessidade de beber água constantemente acontece porque o corpo humano não consegue elimina também continuamente através da evaporação pelo suor (pele), pela respiração (pulmões), nas fezes (intestino) e na urina (rins).

Durante a prática de atividade física o corpo humano perde mais líquido através do suor, afinal é a maneira que ele encontra para manter a temperatura adequada (37 graus). Por isso, durante os exercícios físicos intenso, é importante fazer uma hidratação adequada, que deve ser considerada individualmente, dependendo da quantidade eliminada.

O suor é composto por água (em 99%), alguns nutrientes, principalmente sódio e cloro, e, em quantidades muito pequenas, potássio, magnésio, cálcio, ferro, cobre e zinco.

Para quem pratica atividade física, além da água é importante também repor estes minerais, sendo assim as bebidas isotônicas são bem indicadas, pois facilitam a transferência de fluidos e nutrientes para o sangue, garantindo uma melhor hidratação e reposição de carboidratos e sais minerais perdidos pela sudorese e melhorando a energia e a performance durante o treino.

CAUSAS DA DESIDRATAÇÃO

  • Sua pele resseca – As rugas se acentuam e aparecem cravos e espinhas, já que as toxinas do organismo não são eliminadas adequadamente.
  • Seu intestino faz greve – As fezes ficam mais secas e endurecidas, dificultando sua eliminação.
  • Você fica tonto e desmaia – A pressão cai em decorrência da redução do volume de sangue em circulação.
  • Sua boca seca – As mucosas, de modo geral, tornam-se secas e mais frágeis. Ocorrem sangramentos no nariz e os olhos ficam vermelhos. A produção de saliva também diminui.
  • Pedras se formam nos seus rins – Não se pode afirmar que o surgimento de pedras nos rins ocorra exclusivamente porque se bebe pouco líquido. Deve-se levar em conta a predisposição genética e a alimentação. Mas é fato que, para prevenir crises renais, beber bastante água é fundamental.
  • Seu corpo todo dói – Desidratado, o organismo não aproveita bem as vitaminas e os sais minerais. Eles se acumulam em algumas partes do corpo e outras ficam deficientes, o que causa cãibras e perda da força muscular.

QUANTO BEBER, AFINAL?

glass with health

25 a 30 ml/ Kg de peso corporal.

Aumentar em casos de dispêndio maior, como: verão, maior transpiração e diarreias e vômitos.

SEDE DO QUE?

O ideal é que seja água mineral pura, mas para quem não tem este hábito e quer melhorar pode ser feita águas aromatizadas. Pode-se colocar na água, gotas de limão, laranja, hortelã, gengibre, capim cidreira. Também podem ser feitas infusões, muito embora deva ser tomado no máximo 2 a 3 xícaras de chás ao dia e o restante completando com água pura.

Roseli Rossi  é  colunista do Mulheres de Quarenta. Nutricionista formada pelas Faculdades Integradas São Camilo (CRN 2084 /1983), com título de Especialista em Nutrição Clínica concedido pela ASBRAN – Associação Brasileira de Nutrição. Pós Graduada nos cursos de especialização de Planejamento, Organização e Administração de Serviços de Alimentação; Fitoterapia Aplicada à Nutrição Funcional e Nutrição Ortomolecular com Extensão em Nutrigenômica. É Diretora da Clínica Equilíbrio Nutricional e autora dos Livros: “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Infantis, “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Diet e Light Volumes I e II, Colaboradora do livro Nutrição Esportiva – Aspectos relacionados à suplementação nutricional e autora do Livro “As Melhores Receitas Light da Clínica Personal Diet”

Alimentação nos ciclos de vida

Por Roseli Rossi  

Alimentos funcionais são aqueles que, além de fornecer nutrientes, possuem em sua composição substâncias bioativas com ações benéficas específicas à saúde. Porém, para se aproveitar seus benefícios, esses alimentos devem ser consumidos diariamente, como parte de uma alimentação equilibrada. Conheça os principais nutrientes para cada ciclo de vida.

Gestação:

Muitos nutrientes são essenciais nessa fase, mas o maior destaque é para o ácido fólico, uma vitamina que auxilia na formação do tubo neural, no desenvolvimento do embrião. Os alimentos funcionais fontes são os vegetais de folhas escuras como espinafre, couve, rúcula, agrião, brócolis, escarola, as frutas cítricas e os grãos integrais. O consumo deve iniciar antes da gestação para garantir um bom estoque à mãe e ao bebê. O DHA (ácido docosahexaenoico) é o principal tipo de ômega-3 e traz benefícios para a saúde ao longo de toda a vida, que vão desde o desenvolvimento das estruturas do cérebro e da retina, a partir da gestação, até a prevenção do declínio cognitivo na fase adulta. Este nutriente pode ser obtido por meio da ingestão de peixes de águas profundas ou até mesmo por meio de suplementos.

Primeira infância:

O melhor alimento funcional para essa fase é o leite materno, que fornece todos os nutrientes que o bebê precisa, por isso, não precisa ser complementado com outros alimentos até o 6º mês de vida. Crianças que são amamentadas têm um colesterol mais controlado na vida adulta, evitando o surgimento de diversas doenças.

Escolares:

Para garantir uma boa absorção e aproveitamento dos nutrientes, é essencial um intestino saudável, portanto, o alimento funcional indicado para essa fase são os pré-bióticos, que estimulam o crescimento de bactérias “boas” no intestino além de auxiliar para o bom funcionamento intestinal. Suas principais fontes alimentares são: chicória, cebola, alho, alho-poró, alcachofra, aspargo, banana, centeio, grão de soja, mel, grão-de-bico, tremoço, tomate e açúcar mascavo.

Adolescência:

É a fase de grande crescimento e pico de formação óssea, assim, há maior necessidade do fornecimento de alimentos ricos em cálcio. Além do leite e derivados, outras fontes de cálcio podem ser incluídas na dieta, como vegetais de folhas escuras, peixes como a sardinha, oleaginosas, gergelim e aveia. A acne, comum na adolescência, pode ser causada por problemas nutricionais, alergias alimentares, disfunções hormonais e problemas intestinais. Um dos principais nutrientes que auxiliam no tratamento é o selênio, encontrado nas oleaginosas como castanha-do-pará, nozes, lentilha e gérmen de trigo.

 

Adulto:

Um problema comum nessa fase, nas mulheres, é o surgimento da tensão pré-menstrual. As isoflavonas, presentes na soja, podem auxiliar no seu tratamento, pois ajudam a reduzir enxaqueca, sensibilidade mamária, cólicas e inchaço. Para os homens, é o momento de cuidar da saúde do coração. O consumo de alimentos de cor roxa ou avermelhada fornecem antocianinas, que protegem o sistema cardiovascular, são eles: uva, jabuticaba, morango, cereja, ameixa, açaí, beterraba e berinjela.

Terceira idade:

O cuidado com o cérebro é fundamental, e diversos fatores nutricionais podem ajudar na saúde cerebral e memória, entre eles, a colina, vitamina presente na lecitina de soja e gema de ovo, que tua no desenvolvimento do cérebro e da boa memória.

Estima-se que cerca de 15% de idosos desenvolvam doença de Alzheimer e problemas de memória. Diversos nutrientes podem auxiliar no funcionamento cerebral e prevenção de doenças como Parkinson e Alzheimer, como a colina, vitamina fundamental para o desenvolvimento cerebral e atuação relacionada à memória. Entre as principais fontes, estão a lecitina de soja (não contém colesterol) e a gema de ovo.

Roseli Rossi  é  colunista do Mulheres de Quarenta. Nutricionista formada pelas Faculdades Integradas São Camilo (CRN 2084 /1983), com título de Especialista em Nutrição Clínica concedido pela ASBRAN – Associação Brasileira de Nutrição. Pós Graduada nos cursos de especialização de Planejamento, Organização e Administração de Serviços de Alimentação; Fitoterapia Aplicada à Nutrição Funcional e Nutrição Ortomolecular com Extensão em Nutrigenômica. É Diretora da Clínica Equilíbrio Nutricional e autora dos Livros: “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Infantis, “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Diet e Light Volumes I e II, Colaboradora do livro Nutrição Esportiva – Aspectos relacionados à suplementação nutricional e autora do Livro “As Melhores Receitas Light da Clínica Personal Diet”

Chá verde e o câncer

 

Vários estudos demonstram que 3 fatores, além da genética que representa em torno de 15%, estão diretamente relacionados com a maior predisposição ao desenvolvimento de câncer: má alimentação, exposição á toxinas alimentares e ambientais (agrotóxicos, conservantes, poluição, cigarro, etc.) e estresse. Sendo assim, podemos a redução do risco de câncer esta muito mais na responsabilidade de cada indivíduo e do seu estilo de vida. Embora, saibamos que uma alimentação saudável deve conter o consumo regular de frutas frescas, vegetais, legumes, grãos, sementes, cereais, raízes, azeite de oliva, proteínas com baixo teor de gorduras saturadas, porca quantidade de sal, isenta ou bem moderada de açúcares e farinhas “brancas”, além de muita água. Há certos alimentos que comprovadamente também ajudam a diminuir o risco desta temida, mas infelizmente tão em prevalente doença – o Câncer ! e um deles é o chá verde.

O consumo freqüente de chá verde está inversamente associado com o risco de vários tipos câncer. O chá verde apresenta efeitos protetores em fases diferentes do processo da carcinogênese, inibindo-o pela modulação da transdução de sinais que conduzem à inibição da proliferação, transformação das células e aumento da apoptose.

É fundamental, para a sua ação como quimiopreventivo, a biodisponibilidade dos polifenóis nos tecidos.

O chá verde contém múltiplos polifenóis, entre os quais a epigalocatequina-3-galato, ou EGCG, uma das moléculas nutricionais mais poderosas contra os mecanismos necessários à invasão dos tecidos e à formação de novos vasos pelas células cancerosas. Após duas a três xícaras de chá verde, a EGCG está presente no sangue em grande quantidade, espalhando-se por todo o organismo pelos vasos capilares que cercam e nutrem cada célula do corpo.

O potencial quimioprotetor/antioxidante das frações das catequinas do chá verde apresenta a seguinte ordem decrescente de eficiência: EGCG = ECG > EGC = EC (RICE-EVANS; MILLER; PAGANGA, 1999.

Em uma pesquisa, verificou-se que o consumo de chá verde faz desacelerar consideravelmente o crescimento das células de leucemia, de câncer de mama e do câncer de boca. A grande preocupação de pesquisadores e da indústria farmacêutica é encontrar drogas anticancerígenas que apresentem boa eficácia e baixa toxicidade. As catequinas do chá verde, pelos estudos realizados por vários autores, têm demonstrado uma atividade quimioprotetora importante, porém, merecendo mais investigações sobre a dose e momentos de investigação do chá. É importante não só conhecer a ação das catequinas, mas também estudar os mecanismos envolvidos nessas atividades biológicas.

Sendo assim, as catequinas poderão ser um agente quimioprotetor ao alcance de toda a população como adjuvante no tratamento e prevenção para diferentes patologias.

Roseli Rossi  é  colunista do Mulheres de Quarenta. Nutricionista formada pelas Faculdades Integradas São Camilo (CRN 2084 /1983), com título de Especialista em Nutrição Clínica concedido pela ASBRAN – Associação Brasileira de Nutrição. Pós Graduada nos cursos de especialização de Planejamento, Organização e Administração de Serviços de Alimentação; Fitoterapia Aplicada à Nutrição Funcional e Nutrição Ortomolecular com Extensão em Nutrigenômica. É Diretora da Clínica Equilíbrio Nutricional e autora dos Livros: “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Infantis, “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Diet e Light Volumes I e II, Colaboradora do livro Nutrição Esportiva – Aspectos relacionados à suplementação nutricional e autora do Livro “As Melhores Receitas Light da Clínica Personal Diet”

Hambúrguer de atum com grão-de-bico

Receita Fit por Roseli Rossi

Esta receita é super fácil, ideal para compor seu prato principal no almoço ou jantar e inclusive pode ser considerada uma receita low carb! Tem a cara de um hambúrguer, mas sua composição nutricional é totalmente diferente, ou seja, muito mais saudável, vale a pena experimentar!!

Rendimento: 4 Porções

Ingredientes

8 col. de sopa de grão de bico (cozido)

1 col. de chá de pimenta caiena

1 lata de atum ao natural

2 col. de sopa de salsinha (crua)

3 col. de sopa de farinha de aveia

¼ col. de sopa de orégano (seco)

2 col. de sobremesa de azeite de oliva (extra virgem)

1 col. de café de Sal Rosa do Himaláia

Modo de Preparo: Bata no mix ou processador o grão-de-bico cozido, com o atum e todos os temperos. Coloque esta mistura numa vasilha e acrescente a farinha de aveia, misture bem com as mãos. Abra esta massa numa tábua e corte no formato de hambúrguer (com o cortador ou a boca de um copo) ou modele com as mãos. Unte uma assadeira com margarina e coloque os hambúrgueres. Leve ao forno médio 200 graus por 30 minutos, virando na metade do tempo. Sirva a seguir.

Roseli Rossi  é  colunista do Mulheres de Quarenta. Nutricionista formada pelas Faculdades Integradas São Camilo (CRN 2084 /1983), com título de Especialista em Nutrição Clínica concedido pela ASBRAN – Associação Brasileira de Nutrição. Pós Graduada nos cursos de especialização de Planejamento, Organização e Administração de Serviços de Alimentação; Fitoterapia Aplicada à Nutrição Funcional e Nutrição Ortomolecular com Extensão em Nutrigenômica. É Diretora da Clínica Equilíbrio Nutricional e autora dos Livros: “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Infantis, “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Diet e Light Volumes I e II, Colaboradora do livro Nutrição Esportiva – Aspectos relacionados à suplementação nutricional e autora do Livro “As Melhores Receitas Light da Clínica Personal Diet”

 

 

Como emagrecer com saúde na menopausa?

 

Inevitavelmente, vamos ter que passar pela menopausa. Muitas já estão nesse período, outras ainda irão passar por ele. Adorei as dicas do endocrinologista Dr. Paulo Mário F. de Oliveira que nos orienta sobre como temos que nos preparar para passar bem por essa fase. Confiram!

“Como emagrecer com saúde na menopausa?

Com a chegada da tão temida fase da menopausa, é comum a mulher ter um ganho de peso. O desequilíbrio hormonal afeta diretamente o metabolismo e por isso muitas se sentem desmotivadas, diminuindo a atividade física e não controlando a alimentação. Porém, é possível emagrecer com saúde (ou manter o peso magro) mesmo com a mudança dos hormônios. Confira as dicas do endocrinologista Dr. Paulo Mário F. de Oliveira:

Por que a mulher tende a engordar após a menopausa?

* Nesta fase da vida, o enorme desequilíbrio hormonal que a mulher sofre afeta sua silhueta física, seu metabolismo, sua psique e acaba comprometendo suas relações sócio afetivas. Não era de estranhar que tudo isto se refletisse no peso. A grande maioria se sente desmotivada, infeliz, tende a parar de administrar balança, sua alimentação e diminui a atividade física. A falta do estrogênio por si só, diretamente, não causa aumento de peso.

Peso e alimentação indicada

* Deve-se ter bastante preocupação com a manutenção de um peso adequado dentro de uma dieta saudável, pois o excesso de peso acentua o desconforto físico causado pelas ondas de calor conhecidas como fogachos, característicos da menopausa.

* Os carboidratos complexos e ingeridos com fibras encontrados nas frutas em natura e nos grãos integrais são muito bem vindos. Ajudam na manutenção do peso e previnem doenças como diabetes e aterosclerose.

* Em sua composição, a soja contém substâncias denominadas de isoflavonas que têm uma estrutura molecular semelhante aos estrogênios. Assim, estas substâncias quando ingeridas, na forma de óleos comestíveis, shoyu, ou mesmo concentrado em cápsulas manipuladas farmacologicamente, podem diminuir os sintomas desagradáveis da menopausa. Em relação ao shoyu, como tem um teor de sal elevado, é recomendável usar a versão light. Além disso, a falta de estrogênio tende a modificar o perfil de gordura da circulação, diminuindo o colesterol bom e, em menor proporção, aumentando o ruim. Assim, alimentos ricos em Ômega 3, como peixes tipo salmão e sardinha que podem facilmente ser incorporados a nossa dieta, são recomendáveis.

* O azeite extra virgem sem menor dúvida é a melhor gordura vegetal que pode ser utilizada no preparo e no tempero de alimentos.

Deve-se evitar

* Alimentos ricos em gordura animal, carnes de vísceras e órgãos, embutidos, alimentos processados e o excesso de sal devem ser evitados pelo aumento do risco cardiovascular.

Inchaço

* A sensação de inchaço que a maioria das mulheres se queixam nesta fase da vida dizem respeito principalmente as modificações apresentadas na distribuição da gordura corporal. A gordura abdominal se acentua trazendo uma sensação muito desconfortável e esteticamente desagradável.

* Mais do que diuréticos, é imprescindível manter um peso adequado para a altura. Os chás reconhecidamente diuréticos são o verde, de hibisco e de gengibre com canela.

Exercício físico

* São sempre indicados, mas aquelas que não tinham hábito de praticar, seria mais do que conveniente que tivessem uma orientação profissional.

* O exercício que vem para trazer enormes benefícios mas pode, quando mal orientado, ocasionar lesões e comprometer temporária ou definitivamente o desempenho físico.

* É fundamental alternar atividades aeróbicas com musculação. Essas modalidades trazem benefícios diversos mas que se complementam.

* A atividade física deve ser praticada pelo menos 3 vezes por semana. Entretanto, o ideal são cinco vezes na semana sempre dentro do condicionamento individual a ser bem estimado por profissional habilitado.

Exercícios ao ar livre

* Dentro das aptidões físicas e gostos indivíduas, qualquer atividade física é saudável. Dependendo do objetivo, aquelas com mais gasto energético estão indicadas para quem precisa perder peso. Natação e bicicleta tem menos impacto físico. Corrida e esportes como futebol, vôlei, tênis, etc, tem uma exigência músculo esquelética mais intensa e estão sujeitas a um maior risco de lesão. O trabalho muscular mais intenso também pode ser alcançado ao ar livre em estações de ginástica espalhadas por toda orla marinha do Rio e em praças públicas.

Exercícios que podem ser praticados em casa

* Pode-se adaptar a residência bicicleta ergométrica e esteira para atividades aeróbicas. Assim também, em casa com facilidade pode-se realizar diversos tipos de ginástica e musculação, com ou sem ajuda de pequenos pesos que auxiliariam na obtenção de resultados.”

Paulo Mário F. de Oliveira é endocrinologista, Doutor pela UFRJ, com Mestrado e Pós-graduação pela PUC-RJ, Professor Adjunto Faculdade de Ciências Médicas / UERJ e especialista em Menopausa (CRM 52-34725/6).

 

Ceia saudável no Natal

 

Por Roseli Rossi 

Chegou a época tão festiva e comemorada no mundo todo: o Natal!

Um momento que deve ser comemorado com muita alegria, paz e principalmente saúde. Uma época de reflexões interiores, de celebração pelas conquistas do ano e da união de forças para as tarefas que se seguem adiante, pois durante o ano inteiro em meios as alegrias e conquistas, quanto estresse, ansiedade, problemas, tristezas se passaram e agora é hora de pensar num futuro   mais otimista e promissor!

Junto ao prazer de estar com a família e amigos, a tradição segue com as comidas que também são indispensáveis, como em qualquer comemoração. Os tradicionais pratos preparados no Natal como as aves, carnes de vaca, suínas, tiveram origem em países que vivem esta época natalina na estação do inverno, assim, a preferência é por alimentos com alta densidade calórica recheados de gorduras, carboidratos refinados, cremes e tudo mais.

Ocorre que no Brasil não é inverno no Natal, é verão!!! Calor, praia, 30º graus, sol, longe de ser indicadas essas preparações.

O indicado na hora de ceia é seguir essas tradições porém com certas adaptações das preparações  tradicionais considerando o nosso clima , pois as receitas típicas natalinas somado às bebidas alcoólicas, com certeza trarão uma sobrecarga muito grande ao organismo, com inúmeros sintomas desagradáveis mesmo à quem tem o hábito de consumi-las, podendo inclusive estragar toda a festa.

Neste período não é necessário privar-se das delícias, mas consumi-las com moderação e adaptações. Por exemplo, ao optar pelos pratos principais, opte por um só e não um pouco de cada um, ou seja, o peru ou chester ou lombo ou tender ou peixe. No caso dos acompanhamentos prefira o arroz ou farofa ou batatas ou massas. O mesmo vale para os doces, se não resistir à eles, escolha um para saborear sem culpa. Ao experimentar um “pouquinho” de cada, costuma -se dobrar ou até mesmo triplicar a porção que deveria ser consumida.

Misturar vários tipos de alimentos e condimentos em um momento só poderão lhe trazer má digestão, dores de estomago, azia, dores de cabeça, indisposição, mal estarem, prejudicando este momento  tão mágico e especial!

Assim, auxiliando a preparação de uma ceia sem culpa mas com muito sabor e saúde, indicamos trocas inteligentes, práticas e deliciosas para substituir a ceia tradicional por uma mais leve e mais saudável. 

Assim, de acordo com as sugestões de preparações de uma ceia light, elaboramos um cardápio completo pra você.

O desafio desta época é resistir às tentações tradicionais e agradar ao paladar de todos que estão ao nosso lado nestes momentos, porém, com substituições simples e um tanto quanto saborosas, a ceia terá o mesmo sabor mas com muito mais saúde!!

Tradições nunca devem ser abandonadas, sentimentos devem ser cada vez mais expressos e momentos jamais devem ser esquecidos…

Receitas

Ameixa Recheada

Rendimento: 15 porções  70kcal/cada

30 ameixas pretas

20 amêndoas secas

8 fatias de peito de peru

3 colheres de sopa de cream cheese light

Modo de Preparo: Coloque as amêndoas em água fervente por 3 minutos. Retire do fogo, escorra e espalhe-as em uma forma e leve ao forno médio preaquecido, até dourar. Pique-as grosseiramente e misture com o cream cheesee o peito peru picado (processado). Corte as ameixas ao meio e recheie com essa mistura. Feche as ameixas. Deixe na geladeira até o momento de servir.

 

Salada de Feijão Branco,Salmão e Limão

Rendimento:4 porções   148kcal/cada

4 colheres de sopa de feijão branco cozido

2 postas de salmão cozido

4 alhos

2 colheres de sopa de salsinha

1 folha de louro

1 colher de sopa de azeite

2 colheres de sopa de suco de limão

1 colher de chá de sal light

1 colher de sopa de pimenta rosa

Modo de Preparo: Cozinhe o salmão à vapor com alho e louro e sal. Corte em pequenos pedaços . Numa tigela misture o feijão branco com o salmão , o alho. Acrescente a salsinha picada e o suco de limão, o sal, a pimenta e o azeite.Mantenha em refrigeração até servir.

 

Risoto Cítrico com Pistache

Rendimento:4 porções  280kcal/cada

1 xícara de chá de arroz arbóreo

1 limão

4 laranjas

1 cebola

20 pistaches

½ taça de vinho branco seco

1 colher de sopa de azeite

1 colher de chá de sal light

Modo de Preparo: Esprema as laranjas e o limão para retirar o suco e reserve-os. Leve ao fogo numa panela os sucos juntamente com  1/2 litro da água, até ferver. Reduza o fogo e mantenha aquecido. Pique a cebola e coloque numa outra panela juntamente com o arroz sem lavar e refogue, mexendo rapidamente, por 5 minutos. Misture o vinho e o sal e cozinhe, sem parar de mexer, até o vinho evaporar. A seguir, adicione os sucos de limão e de laranja fervente e deixe cozinhar até que o arroz fique cozido e todo o  líquido seja absorvido. Retire do fogo, distribua o risoto nos pratos e decore com rodelas do limão e da laranja reservados. Salpique os pistaches e sirva em seguida.

 

Filé ao Suco de Fruta Recheado

Rendimento: 8 porções  202kcal/cada

1 peça de carne bovina magra

¼ de copo de suco de abacaxi sem açúcar

½ de suco de uva integral

3 colheres de chá de sal grosso

1 colher de sopa de alecrim

3 ramos de sálvia

3 colheres de sopa de salsinha

3 cebolas

3 alhos

1 colher de sopa de orégano

Modo de Preparo: Retire bem a gordura da peça de filé mignon, abra-a ao meio sem cortá-la até o final. Misture o suco de abacaxi e o de uva. Coloque a peça em um saco plástico e adicione os sucos, feche e deixe no refrigerador por 30 minutos. Retire a peça, reserve o suco de fruta e  abra em uma assadeira.À parte higienize as cebolas e o alho, corte-os em rodelas e tempere com sal e orégano. Recheie a carne e enrole, fechando-a com palitos. Misture ao sal grosso com as ervas ( tomilho, sálvia e salsinha). Adicione este sal com ervas por cima da peça de filé de maneira uniforme. Cubra com papel manteiga e leve ao forno médio por 60 minutos ou até ficar cozida, retire o papel, derrame os suco de fruta e retorne ao forno até dourar. Sirva a seguir.

Cremoso de Chocolate ao Licor

Rendimento: 4 porções   120kcal/cada

1 xícara de leite desnatado

1 pote de iogurte natural desnatado

2 colheres de sopa de chocolate em pó

½ cálice de licor

1 sachê de gelatina sem sabor

3 colheres de sopa de adoçante em pó para culinária

Modo de Preparo: Dissolva a gelatina conforme instruções da embalagem. Reserve. Leve ao liquidificador todos os ingredientes e a gelatina dissolvida. Bata por 4 minutos.

Coloque o creme em taças e leve à geladeira por 4 horas. Decore com raspas de chocolate. Sirva a seguir. Opção  de licor: Amareto

 

Roseli Rossi  é  colunista do Mulheres de Quarenta. Nutricionista formada pelas Faculdades Integradas São Camilo (CRN 2084 /1983), com título de Especialista em Nutrição Clínica concedido pela ASBRAN – Associação Brasileira de Nutrição. Pós Graduada nos cursos de especialização de Planejamento, Organização e Administração de Serviços de Alimentação; Fitoterapia Aplicada à Nutrição Funcional e Nutrição Ortomolecular com Extensão em Nutrigenômica. É Diretora da Clínica Equilíbrio Nutricional e autora dos Livros: “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Infantis, “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Diet e Light Volumes I e II, Colaboradora do livro Nutrição Esportiva – Aspectos relacionados à suplementação nutricional e autora do Livro “As Melhores Receitas Light da Clínica Personal Diet”.

 

 

Abacate: pode comer sem culpa!

Por Roseli Rossi

O abacate é uma das frutas mais bem vistas do ponto de vista nutricional. Eles possuem gorduras monoinsaturadas, vitamina E, fibras solúveis e minerais como ferro, cobre e potássio. Além, é claro, de serem muito saborosos – com um pouco de sal, limão e azeite, principalmente.

No entanto, nós não estamos aproveitando o máximo deles, pelo menos de acordo com uma equipe de pesquisadores presente na reunião anual da American Chemical Society.

A parte verde-amarela do abacate é consumida sem cerimônias por milhões de pessoas todos os dias, mas na verdade não é a parte mais nutritiva da fruta.

Esse título vai para o revestimento que envolve o caroço no centro. Este óleo que compõe parcialmente a casca das sementes é carregado com produtos químicos antivirais, compostos anticancerígenos e componentes que ajudam a reduzir a probabilidade de coágulos sanguíneos aparecerem nas artérias. A parte cerosa da casca contém produtos químicos que, quando processados, podem ser usados para fazer peças de dispositivos médicos, aditivos alimentares e cosméticos.

Em suma, essas cascas são verdadeiras “minas de ouro” de compostos úteis que, até agora, permaneceram desconhecidas.

Embora isso não signifique que você deva agora pegar essas partes e mastigar – especialmente porque elas não são comestíveis dessa forma – sugere que os abacates são mais valiosos do que achávamos.

A equipe, da Universidade do Texas, nos EUA, explica em uma declaração que eles secaram e arrumaram as cascas de 300 abacates, antes de colocá-las em um espectrômetro de massa, para fazer essa descoberta. Eles sugerem que no futuro, devemos estar reciclando esses caroços para que eles possam ser quebrados e transformados em uma variedade de compostos deliciosos, medicinais ou construtivos.

A nova pesquisa pode ser também uma boa notícia para o planeta. Abacates exigem muita água para crescer, muita terra para serem cultivados e são enviados por via aérea para exportação. Isto significa que eles geralmente trazem consigo uma pegada de carbono pesada, mais alta que quase todas as outras frutas e vegetais comumente consumidos. Um esquema para utilizar os caroços pelo menos tiraria mais proveito da fruta!

Roseli Rossi  é  colunista do Mulheres de Quarenta. Nutricionista formada pelas Faculdades Integradas São Camilo (CRN 2084 /1983), com título de Especialista em Nutrição Clínica concedido pela ASBRAN – Associação Brasileira de Nutrição. Pós Graduada nos cursos de especialização de Planejamento, Organização e Administração de Serviços de Alimentação; Fitoterapia Aplicada à Nutrição Funcional e Nutrição Ortomolecular com Extensão em Nutrigenômica. É Diretora da Clínica Equilíbrio Nutricional e autora dos Livros: “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Infantis, “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Diet e Light Volumes I e II, Colaboradora do livro Nutrição Esportiva – Aspectos relacionados à suplementação nutricional e autora do Livro “As Melhores Receitas Light da Clínica Personal Diet”

Emagrecer após os 40 anos

Por Roseli Rossi 

Até os quarenta anos, a assistente financeira Maria Inês Castro se orgulhava de manter o mesmo peso que tinha ao se casar, aos 23 anos: 52 kg. Nos anos seguintes, porém, o ponteiro da balança teimava em subir. E, aos 45, quando Maria Inês entrou no climatério, ele disparou de vez. Para piorar, os novos quilos se concentraram na barriga.”Emagrecer era superdifícil”, diz ela, hoje com 54 anos.

Com algumas variações, essa história se repete diariamente em consultas a nutricionistas e em clínicas endocrinológicas. As pacientes contam que mantêm a mesma alimentação, os mesmos exercícios e, ainda assim, engordam. Por quê?

A resposta passa por alterações hormonais, queda do metabolismo, diminuição do sono e estresse, entre outros fatores.

Some-se a isso a adoção de hábitos nada saudáveis. “Na juventude, as pessoas usam transporte público, têm mais tempo livre e fazem mais exercícios. Depois, muitas adotam um estilo de vida que dificulta a perda de peso”, ressalta Márcio Mancini, médico do grupo de obesidade do Hospital das Clínicas da USP (Universidade de São Paulo) e presidente eleito da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica).

A boa notícia: dá para se preparar para a nova fase, assim como reverter as mudanças na silhueta. Não se trata só de estética, mas de saúde.

Mulheres que ganharam dez quilos ou mais após a menopausa tinham 18% mais chance de desenvolver câncer de mama, segundo estudo divulgado ano passado no “JAMA” (publicação da Sociedade Americana de Medicina).

Já quem perdeu dez quilos ou mais após a menopausa e nunca fez reposição hormonal tinha 57% menos chance de ter esse tipo de tumor do que quem manteve o peso.

Metabolismo e hormônios

Tanto homens quanto mulheres vivenciam a queda da taxa metabólica ao envelhecer. Isso significa que o corpo gasta menos energia para se manter funcionando aos 40 anos do que aos 20, por exemplo. “Até os 30, tudo era fácil.

Eu podia comer besteira que queimava rapidinho–depois o metabolismo fica devagar. Sempre me exercitei, mas, para ter resultado agora, tem de ser mais intenso”, conta a dona-de-casa Denise Olivetto, 43.

Uma desvantagem para as mulheres é que elas têm, naturalmente, menos massa magra (músculos, ossos e vísceras, que queimam muita energia) e mais tecido adiposo.

A sorte delas é que o estrogênio estimula o acúmulo de gordura nos quadris, dando-lhes o formato de ampulheta. Já a testosterona (hormônio masculino) leva os homens a depositarem gordura na região abdominal a famosa “barriga de chope”, perigosa para a saúde.

Mas, por volta dos 45 anos, elas perdem essa vantagem: com a diminuição dos níveis de estrogênio, a proporção da testosterona no organismo feminino sobe. O resultado é o surgimento da gordura abdominal.

Extremamente prejudicial, ela eleva o risco de doenças cardiovasculares, de hipertensão e de diabetes, explica o endocrinologista Sérgio Braga, diretor médico do spa Salute Bahia.

O tecido adiposo participa ativamente da regulação hormonal e, quando localizado no abdômen, age de forma diferente, afirma Mancini.

Entre as substâncias fabricadas pela gordura abdominal, estão duas com ação inflamatória: a IL-6 e o TNF-alfa. Em alta concentração, elas levam a uma inflamação crônica dos vasos sangüíneos –o que pode levar à arteriosclerose–e aumentam a resistência à insulina -a porta de entrada para o diabetes. Outras proteínas ligadas à gordura visceral

são a PAI-1, que leva à formação de coágulos no sangue, e a angiotensina-II, que causa hipertensão.

A gordura abdominal também produz uma substância benéfica: a adiponectina, que é antiinflamatória e aumenta a sensibilidade à insulina. Mas, quando há excesso de gordura corporal, a produção de adiponectina cai, deixando o organismo mais suscetível a complicações, diz o endocrinologista Bruno Geloneze, da Abeso.

A pedagoga Eleni Gorgueira, 47, conhece de perto esses riscos. Sua família tem tendência a engordar, afirma.

Atualmente, sua mãe tem diabetes e suas duas irmãs, hipertensão. Ela mesma, ao ganhar alguns quilos, fica com a pressão mais alta. “Ainda não entrei no climatério, mas já percebi que o metabolismo desacelerou”, diz.

Felizmente, a gordura visceral é mais fácil de “queimar”: quem perder 10% de gordura corporal provavelmente perderá 30% da gordura presente no tórax, compara Geloneze.

“É mais simples perder a gordura da barriga do que a das coxas”, afirma Mancini. Esse, diz, é um dos motivos pelos quais os homens emagrecem mais rapidamente do que as mulheres.

 

Desânimo

Mas, para queimar a gordura, é preciso comer menos e se exercitar mais –algo nem sempre fácil para mulheres em meio a um turbilhão emocional. “Dos 41 aos 55 anos, as mulheres passam por uma transição hormonal, e algumas podem ser mais vulneráveis a essa fase”, afirma o psiquiatra Joel Rennó Jr., coordenador do Pró-Mulher (Projeto de Atenção à Saúde Mental da Mulher, do Hospital das Clínicas da USP).

Isso inclui sintomas ansiosos e depressivos, que podem interferir no peso. Foi o que aconteceu com a secretária Regina Laplaca, 58, quando ela entrou na menopausa, há cinco anos. “Devido à variação hormonal, fiquei tão deprimida que parei as minhas caminhadas”, conta.

Além disso, nessa fase muitas mulheres enfrentam mudanças na relação com os filhos, que chegam à adolescência, e vivem uma fase profissional estressante, ressalta o psiquiatra. Esse estresse também influi no peso: ele libera o cortisol, que afeta o metabolismo e leva à resistência à insulina.

Outro fator importante é o sono. É comum ter insônia nos primeiros cinco anos de menopausa e, no climatério, os “calores” impedem muita gente de dormir, afirma o ginecologista Ivaldo Silva, um dos coordenadores da Casa do Climatério, da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

Após uma noite em claro, é difícil querer se exercitar, mas essa não é a única conseqüência. “Quem dorme menos engorda mais”, diz a neurologista Dalva Poyares, do Instituto do Sono, da Unifesp. Uma das hipóteses para isso, diz, é que durante o sono o corpo libera o hormônio do crescimento, que tem efeito anabolizante (aumenta a massa muscular, melhorando o metabolismo).

Além disso, diz Geloneze, da Abeso, a falta de sono também libera cortisol e interfere em hormônios como a grelina (hormônio da fome) e a leptina (hormônio da saciedade).

As mudanças dessa faixa etária também podem ser acompanhadas por uma doença: o hipotireoidismo. O problema costuma afetar mulheres e surgir após os 40 anos. No Brasil, suspeita-se que parte dos casos esteja ligada ao excesso de iodo no sal entre 1998 e 2003.

O hipotireoidismo é associado à piora da hipertensão, ao aumento da glicemia e à fraqueza muscular. Ele também diminui o metabolismo. O problema é irreversível, mas pode ser tratado com reposição hormonal específica.

Na ausência de doença, a melhor estratégia para manter o peso é adotar hábitos saudáveis o quanto antes. “Quem tem tendência a doenças crônicas deve se cuidar o mais cedo possível. Antes da menopausa, os resultados são mais rápidos”, diz a nutricionista Lucyanna Kalluf, membro científico do CBNF (Centro Brasileiro de Nutrição Funcional).

A receita não é complicada, diz Mancini. “Quem se alimentar de forma saudável, não ceder ao marketing de alimentos industrializados e reservar tempo para a atividade física dificilmente terá problemas.”

Foi o que fez a farmacêutica Maria Inês. Após engordar, ela deu início a uma dieta e perdeu quatro quilos em um mês. “Emagreci justamente na região abdominal. Agora, penso em começar a pular corda, que é barato e eficiente.”

Roseli Rossi  é  colunista do Mulheres de Quarenta. Nutricionista formada pelas Faculdades Integradas São Camilo (CRN 2084 /1983), com título de Especialista em Nutrição Clínica concedido pela ASBRAN – Associação Brasileira de Nutrição. Pós Graduada nos cursos de especialização de Planejamento, Organização e Administração de Serviços de Alimentação; Fitoterapia Aplicada à Nutrição Funcional e Nutrição Ortomolecular com Extensão em Nutrigenômica. É Diretora da Clínica Equilíbrio Nutricional e autora dos Livros: “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Infantis, “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Diet e Light Volumes I e II, Colaboradora do livro Nutrição Esportiva – Aspectos relacionados à suplementação nutricional e autora do Livro “As Melhores Receitas Light da Clínica Personal Diet”.

 

 

Autoestima, o segredo do sucesso!

Por Gisela Campiglia

Nossa autoestima começa a ser construída na infância, os elogios e as críticas que recebemos de nossos pais ficam gravados em nosso subconsciente. Porém, mesmo que tenhamos convivido com comentários prejudiciais durante nossa época de criança, podemos reconstruir esses conceitos quando chegamos a vida adulta. Isso acontece quando através de nossos esforços e conquistas conseguimos provar para nós mesmo que não somos pessoas inadequadas, incapazes ou ruins. Nossa vivência diária nos faz perceber, que aquelas observações negativas que fizeram a nosso respeito não correspondem à realidade.

Estar satisfeito consigo mesmo é o pilar de apoio mais importante da autoestima. É claro que conquistar nossos objetivos nos fortalece, mas esse não é o único combustível da autoestima. O simples fato de saber que fizemos o nosso melhor, que fomos capazes de utilizar bem as nossas habilidades, já é uma fonte de satisfação, mesmo quando não alcançamos os resultados que planejamos.

Caso exista alguma área de nossa vida na qual ainda não estamos utilizando de forma satisfatória nosso potencial de ação, podemos nos empenhar e transformar essa circunstância. A solução depende de nós! O comprometimento com nosso desenvolvimento e melhoria vai determinar o fortalecimento, ou a diminuição de nossa autoestima.

O problema é que mesmo as pessoas que valorizam a si mesmas e expressam confiança, costumam enfrentar autos e baixos em sua autoestima. Esse desconforto acontece quando o indivíduo se sente deslocado em certos grupos de convivência onde está inserido. Se uma pessoa vivesse sozinha no mundo, sua aparência, seus atos e seu modo de ser não teriam repercussão nenhuma, pois não existiria a comparação e a necessidade de aceitação. No entanto, desde seu nascimento o bebê repete os comportamentos que resultam em aceitação e carinho de seus pais. De forma inconsciente carregamos esse padrão infantil durante a vida, trata-se de um registro relacionado a sobrevivência e perpetuação da espécie.

Obter aceitação no meio em que convivemos é um dos pilares de sustentação da autoestima, quanto mais somos iguais aos que nos cercam, mais aceitos seremos. Porém, apesar de compartilharmos dos mesmos objetivos de um grupo, por vezes, os comportamentos adotados por seus integrantes podem entrar em conflito com nossa forma de ser. Os membros que destoam de um grupo costumam ser discriminados e rejeitados, mesmo que essa prática aconteça de forma velada. Essa situação pode acontecer na escola, no trabalho, e até mesmo na família. Ao vivenciarmos esses momentos de rejeição nossa autoestima tende a desabar. Acolha os diferentes dos vários grupos que frequenta, especialmente se esse diferente for você.

Cabe a nós cortar esse vínculo de dependência com o reconhecimento do grupo e sustentar nossa autoestima perante a não aceitação do outro. Quando conseguimos atingir esse nível de maturidade, significa que iniciamos o processo de individuação. Carl Gustav Jung (1875-1961), psiquiatra suíço e fundador da psicologia analítica, foi quem estudou e classificou essa etapa do desenvolvimento humano. O processo de individuação ocorre quando a pessoa evolui de um estado infantil de identificação e dependência com o meio, para uma atuação mais consciente e autentica, orientada por sua personalidade.

Quando passamos a acolher com naturalidade nossas diferenças em relação aos outros, nos libertamos da incomoda flutuação de nossa autoestima. Foque naquilo que é realmente importante e produtivo, seja você mesmo melhorado a cada dia e mantenha sua autoestima fortalecida.

Gisela Campiglia

Formada em psicologia, física quântica, bioenergia e metafísica. Trabalha com desenvolvimento pessoal, promove palestras, escreve artigos e é colunista do Mulheres de Quarenta.

 

Caminhada SUPPLEX® com as Mulheres de Quarenta

 

Desta vez vamos fazer um evento esportivo com todas as nossas seguidoras aqui de São Paulo.

A marca SUPPLEX® (@supplex.brasil) faz um convite especial para que todas as Mulheres de Quarenta participem de uma caminhada no PARQUE DO IBIRAPUERA, com a participação e orientação de todos os profissionais da A2 Trainers, entre eles o Luis Felipe Silva, a nossa querida Rosangela Cristina Dos Santos e o Luis Fernando Freitas, profissionais certificados e super especializados para nos acompanhar.

Eles já estão fazendo uma super programação para que possamos nos exercitar e criar hábitos que nos ajudem a ter uma vida mais saudável! Os homens são super bem-vindos e as crianças também.

Nosso encontro acontecerá no dia 26/11, às 10 h, na Praça do Porquinho, local próximo ao Portão 6, que fica na Av. Quarto Centenário, 861.

Vamos entregar para as 50 primeiras MULHERES que chegarem ao evento uma camiseta exclusiva confeccionada com tecido SUPPLEX®.

Você não pode ficar de fora!

Bora lá com a gente!

 

Tudo o que eu posso garantir é a ALEGRIA, ANIMAÇÃO e o ALTO ASTRAL que sempre estão presentes em todos os nossos encontros!

Confirme já a sua participação e programe-se para esse encontro especial que vamos fazer!

Beijos!

Vanessa Palazzi

Aprenda a combater a celulite com a alimentação

Eu tenho, mas quem não tem? Não adianta negar. A celulite atinge grande parte das mulheres e passamos a vida toda lutando contra elas. A nutricionista Roseli Rossi, da Clínica Equilíbrio Nutricional, tem algumas dicas sobre alimentos que podem nos ajudar a combater esse mal e também nos dá uma orientação sobre o que devemos evitar para prevenir a celulite. Confiram!

“Lipodistrofia Ginóide é o nome técnico e correto da temida e indesejada “celulite’! Uma alteração causada pelo acúmulo de gordura, água e toxinas nas células, fazendo com que essas células fiquem cheias e endurecidas, deixando o local com desníveis (ondulações e retrações) e nódulos, que se manifesta externamente através dos furinhos indesejados na e/ou em “casca de laranja”. É causada por alterações no tecido gorduroso sob a pele, em conjunto com alterações na microcirculação e consequente aumento do tecido fibroso. Estas alterações pode ocorrer devido a predisponentes como sexo, raça, biotipo constitucional e distribuição do tecido adiposo. E também por alterações de natureza hormonal, pois pode-se observa que há um aumento no desenvolvimento da celulite durante os períodos de mudança hormonal, tais como puberdade, menopausa, síndrome pré-menstrual, gravidez, início do uso de anticoncepcional, tratamento com estrogênio e alterações nos hormônios da tireóide.

ALIMENTAÇÃO COMO GRANDE ALIADA NO COMBATE A CELULITE

A alimentação é um fator de grande importância para a prevenção da celulite e um acompanhamento nutricional é essencial para aliar a outros tratamentos objetivando amenizar o problema.

CONSUMA

Frutas Cítricas, gengibre e hortelã: Contribuem para o bom funcionamento do sistema linfático, eliminando toxinas do organismo, e reduzem o volume das células.

– Lima da Persia: limpa o sistema linfático e desintoxica o fígado.

Missô, Natto: por serem produtos derivados da soja , contêm fitoestrogêneos, ou seja ,apresentam substância que se assemelha muito ao hormônio feminino estrógeno. O consumo com frequência favorece o balanço hormonal positivo, prevenindo a celulite, que como uma de suas principais causas o fator hormonal.

Maçã: fonte de pectina , um tipo de fibra que auxilia na detoxificação orgânica.

Chá verde: Além de diurético, atenuando os sintomas da retenção hídrica (quadro que torna mais favorável o aparecimento da celulite), é desintoxicante e reduz a

absorção de triglicérides e colesterol, acarretando em um menor ganho de peso.

– Aveia: rica em silício, reorganiza as fibras de sustentação e previne a formação de furinhos.

Linhaça, chia, peixes de água fria: fontes de omega 3 , que tem ação antioxidante e antiinflamatória , fundamental para combater a celulite.

Vegetais verde escuros: Melhoram a circulação e desintoxicam o organismo

Água e água de coco: Hidrate-se: beba de 1,5 a 2 litros de água diariamente, pois é fundamental para manter o tônus da pele, melhorar a circulação sanguínea e ajudar a eliminar toxinas acumuladas.

EVITE

Sódio (sal, enlatados, embutidos, molho shoyo e inglês): Favorecem a retenção hídrica, piorando o aspecto da celulite.

Gorduras e frituras: Em excesso acumulam-se nos tecidos e comprimem as veias, dificultando a nutrição das células e consequentemente facilitando o surgimento da celulite.

– Carboidratos refinados, açúcares , frituras, gorduras saturadas , trans e hidrogenadas: altamente inflamatórios e vão carregar mais toxinas nas suas células.”

Dra. Roseli Lomele Rossi – CRN 2084                                                                   

Nutricionista formada pelas Faculdades Integradas São Camilo (CRN 2084 /1983), com título de Especialista em Nutrição Clínica concedido pela ASBRAN – Associação Brasileira de Nutrição. Pós Graduada nos cursos de especialização de Planejamento, Organização e Administração de Serviços de Alimentação; Fitoterapia Aplicada à Nutrição Funcional e Nutrição Ortomolecular com Extensão em Nutrigenômica. É Diretora da Clínica Equilíbrio Nutricional e autora dos Livros: “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Infantis, “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Diet e Light Volumes I e II, Colaboradora do livro Nutrição Esportiva – Aspectos relacionados à suplementação nutricional e autora do Livro “As Melhores Receitas Light da Clínica Personal Diet”.

 

Alimento para aumentar a sua libido

E você, já ouviu falar da Maca Peruana? Veja as informações da nossa nutricionista Roseli Rossi sobre esse tubérculo que pode melhorar a sua libido.

 

A Maca Peruana (Lepidium Meyenii), um tubérculo originário da Cordilheira dos Andes, com formato semelhante ao de um rabanete, é uma planta rica em  nutrientes em nutrientes , como: aminoácidos, carboidratos, fibras, cálcio, ferro, magnésio, ômegas 3 e 9, fósforo, potássio, zinco, selênio e vitaminas B1, B2, C e E. Ela também é conhecida com Ginseng Peruano, uma das raízes mais fortes em forma de alimento.

Benefícios para saúde

  • Aumenta a fertilidade e libido, tanto no homem quanto na mulher. Alguns estudos relacionam a combinação de vitaminas do complexo B, zinco e vitamina E com a formação dos hormônios sexuais do organismo, melhorando problemas de falta de libido e infertilidade. A Maca Peruana também apresenta fitoquímicos como os alcalóides, que contêm características semelhantes ao estrogênio e às prostaglandinas, fazendo que a raiz atue na regulação das funções sexuais. Ela também atuaria sobre o hipotálamo e as glândulas suprarrenais, proporcionando efeito estimulante;
  • Auxilia no controle dos sintomas causados pela menopausa, principalmente a osteoporose, pela presença do cálcio. Além da combinação de vitaminas do complexo B, zinco e vitamina E auxiliarem na formação dos hormônios sexuais, aliviando as famosas ondas de calor;
  • Promove o aumento de energia e vigor físico. É uma raiz rica em carboidratos complexos, principal nutriente responsável pelo fornecimento de energia, além de ser fonte de vitaminas do complexo B, que participam das reações relacionadas à produção de energia ao organismo;
  • Por ser uma raiz rica em muitos minerais e vitaminas do complexo B, melhora o metabolismo energético, propiciando ganho de massa muscular;
  • Auxilia na prevenção e tratamento de doenças cardiovasculares, ajuda no controle da hipertensão arterial e hipercolesterolemia, pela presença dos ômegas 3 e 9;
  • Atua na prevenção da anemia, devido à sua grande concentração de ferro;
  • Apresenta o aminoácido arginina, que atua no aumento da imunidade;
  • Auxilia as dietas de emagrecimento pela grande quantidade de fibras, aumentando a saciedade e diminuindo o apetite;
  • Com grande quantidade de fibras, ajuda no controle da diabetes, evitando a liberação de grandes quantidades de insulina de uma só vez.

A Maca Peruana pode ser encontrada sob a forma de ou cápsulas. O pó pode ser usado em saladas, sucos e sopas. Recomenda-se o consumo de 500mg a 1200mg ao dia. A maca peruana pode auxiliar no processo de emagrecimento, desde que haja uma mudança nos hábitos alimentares e prática de exercícios físicos. Nenhuma conduta isolada será suficiente.
Como qualquer fitoterápico, deve ser ministrada com orientação de uma profissional habilitado.

Dra. Roseli Lomele Rossi – CRN 2084                                                                   

Nutricionista formada pelas Faculdades Integradas São Camilo (CRN 2084 /1983), com título de Especialista em Nutrição Clínica concedido pela ASBRAN – Associação Brasileira de Nutrição. Pós Graduada nos cursos de especialização de Planejamento, Organização e Administração de Serviços de Alimentação; Fitoterapia Aplicada à Nutrição Funcional e Nutrição Ortomolecular com Extensão em Nutrigenômica. É Diretora da Clínica Equilíbrio Nutricional e autora dos Livros: “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Infantis, “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Diet e Light Volumes I e II, Colaboradora do livro Nutrição Esportiva – Aspectos relacionados à suplementação nutricional e autora do Livro “As Melhores Receitas Light da Clínica Personal Diet”.

 

 

Viva mais feliz

Por Gisela Campiglia

O excesso de responsabilidades das mulheres modernas resulta em um alto nível de estresse diário. Criar novos hábitos para aumentar nossa qualidade de vida irá evitar a necessidade de realizar muitas consultas medicas. Comece aplicando uma dica por dia, depois inclua as demais. Com o tempo, esses novos hábitos positivos farão parte do seu comportamento, os frutos irão refletir em seu bem-estar e nível de felicidade!

Saia da rotina!
Procure fazer algo novo, pode ser alguma coisa simples. Comer algo diferente, fazer um novo trajeto para ir ao trabalho, mudar o corte de cabelo. Mas, se possível, viaje para algum lugar que você não conheça, ou comece a fazer aquele curso que você sempre deixa par depois. Sinalize para o universo que você esta aberto para o novo.

Agradeça mais e reclame menos!
Reclamar da vida só aumenta o seu nível de estresse. Ao acordar faça uma prece de agradecimento, pela vida, pela família, pelo trabalho, por tudo que você tem. A sintonia da gratidão sinaliza ao universo que somos merecedores, assim você atrairá mais bênçãos em sua vida.

– Sorria para si mesmo!
As pesquisas mostram que quanto mais sorrimos, mais jovens ficamos. Não se cobre em excesso, tenha consigo a mesma paciência que você tem com uma criança. Como diz o ditado “rir é o melhor remédio”. Quando alguma coisa der errado, não se irrite. Procure mudar para uma sintonia positiva, desvie o pensamento para uma lembrança engraçada; agindo assim tudo se resolve da melhor forma.

– Valorize-se, admire seu sucesso e conquistas!
Quando não valorizamos as boas coisas que conquistamos, o universo entende que não deve mais enviar oportunidades de realização em nosso caminho. Nunca deixe um acontecimento bom sem comemoração. Essa é uma falha que às vezes cometemos, desta forma limitamos as bênçãos que podem ser encaminhadas em nossa vida.

– Faça algo só para você, pelo menos uma vez na semana!
Reserve um tempo sagrado na semana para dar-se um momento de prazer, faça algo que você sabe que lhe faz bem. Pode ser uma massagem, ler aquele livro especial, ou mesmo apenas escutar seu cd favorito. O importante é que seja sem interrupções, para que você possa refazer suas energias. Cada um sabe o que pode lhe tocar a alma.

Com boa vontade, mas sem auto cobrança, coloque em pratica essas dicas uma a uma; com o tempo elas se transformarão em um habito muito positivo que irá resultar no aumento de sua qualidade de vida.

Um beijo pra você e até a próxima!

Gisela Campiglia

Quem procura acha

 

Por Gisela Campiglia

De forma consciente ou não, quem procura acha!
Enquanto alguns encontram problemas, outros descobrem soluções.
O que você tem encontrado em sua vida?

Existem pessoas que prezam muito por sua saúde, estão sempre atualizadas sobre os sintomas e tratamentos de diversas doenças. Mas, apesar da tentativa de se protegerem, essas pessoas são as que ficam doentes com maior facilidade. Há mulheres que desejam intensamente encontrar um homem maravilhoso, procuram realizar o sonho de viver um grande amor. Porém, quando essas mulheres acreditam que homem não presta, encontram um parceiro problemático, e acabam por vivenciar um relacionamento desgastante. O ponto em comum entre esses dois tipos de pessoas é a crença no negativo, a crença na possibilidade de ocorrer situações que trazem dor e sofrimento.

Certamente ninguém deseja encontrar problemas, mas crenças negativas inconscientes resultam na concretização de adversidades em nossa vida. Para realizar nossos melhores desejos não basta querer!

O primeiro passo é acreditar que nossos desejos podem realmente ser materializados. Essa colocação parece óbvia, mas não é tão simples assim. Desejo e crença são coisas diferentes; eu só acredito que consigo realizar meus desejos, quando minha autoestima está fortalecida. Precisamos confiar em nossa competência para conseguir realizar nossos intuitos. Devemos também acreditar que temos merecimento para receber o melhor da vida. É comum escutarmos pessoas afirmando que a vida é dura e injusta, ou seja, ruim. Aqueles que não confiam na própria capacidade, e alimentam uma crença negativa sobre a vida, não irão conseguir efetivar seus sonhos.

O segundo passo é pedir a Deus, para que ele lhe ajude a realizar seus objetivos. Faça orações pedindo sinais, dicas sobre qual é a melhor direção a seguir. Solicite em suas preces que essas instruções venham de maneira fácil e clara. Por exemplo, através de um livro que você será intuído a ler, de um filme que você assista, ou de um amigo que lhe ofereça um conselho. Peça e fique atento para captar e seguir as orientações enviadas.

O terceiro passo é agir, exercer ações que viabilizem a conquista de seus desejos. Não adianta querer um novo emprego e ficar de braços cruzados, apenas rezando sem distribuir seu curriculum no mercado de trabalho. Deus age através de você; é preciso que você faça a sua parte! As ações que você irá realizar devem estar sempre alinhadas com seus propósitos. Se o seu desejo é arrumar um emprego, invista em um curso de aprimoramento profissional, passe a fazer parte de grupos relacionados à sua área de interesse, tanto nas redes sociais, como de forma presencial.

O quarto passo é controlar a ansiedade, queremos que nossos desejos sejam realizados com rapidez. No entanto, todo movimento ocorre através de um processo e isso demanda tempo. Conserve o otimismo e a dedicação na busca da realização de seus desejos. Essa etapa funciona como um teste de fé; se você mantiver a boa vontade e o foco, certamente colherá bons resultados. O desejo precisa percorrer um caminho, sair do plano mental para se manifestar no plano material. Sabemos que na terceira dimensão, as coisas demoram mais para acontecer, situação que não ocorre no plano espiritual, onde tudo acontece de forma instantânea. Como ainda não sabemos controlar nossos pensamentos negativos com precisão, essa característica da dimensão física é uma verdadeira benção em nossa vida. Vivencie essa fase com tranquilidade e firmeza para realizar suas metas.

Suas crenças e seu posicionamento de vida determinam o encontro de problemas ou soluções em sua vida.

Um beijo e até a próxima!

Gisela Campiglia

Formada em psicologia, física quântica, bioenergia e metafísica. Trabalha com desenvolvimento pessoal, promove palestras, escreve artigos e é colunista do Mulheres de Quarenta.

Add to cart
AN