Razão e paixão podem andar juntas?

Quem nunca se apaixonou? E quando falo de paixão, é aquele sentimento de adolescência que você confunde com amor, um misto de dor no corpo pela ausência do outro, uma saudade profunda…

Alguns indícios da paixão: você toda hora olha o celular, passa infindáveis horas trocando mensagens, falando e não querendo desligar. O relógio simplesmente para.

Diz a ciência que os efeitos dopaminérgicos de uma paixão trazem um bem-estar profundo, nova disposição, energia criativa, felicidade profunda e senso de recompensa.

Então como manter a chama acesa da paixão nos relacionamentos? Ao mesmo tempo, como evitar as paixões paralelas aos casamentos, namoros… E como manter-se fiel a uma só pessoa, quando a paixão terminou?

Diz na sexologia que a paixão deixa as pessoas mais criativas, mais tolerantes e não o contrário.

Um relacionamento morno (onde a rotina prevalece) ou desgastado o mostrará o oposto, mais intolerância, menos desejo, e claro, mais possibilidade de olhar para outros lugares, mesmo sem a intenção de se “reapaixonar”, muitas vezes seu você se vê apaixonada/o por outro alguém.

E aí, o que fazer nesse tipo de caso?

O primeiro passo nessas ocasiões é parar de se culpar, porque culpa só causa paralisia e não resolverá sua questão.

Fale com seu terapeuta, mas tenha cuidado com os ditos como “melhores amigos”. Tenha cautela para sua história não cair na rádio peão.

Cuide de você, principalmente porque em estados apaixonados, colocamos o outro ou a situação de paixão sempre em primeiro lugar. Então, não corra riscos desnecessários.

Cuidado com as promessas, escute sua intuição, e confie no seu saber, mesmo que neste momento a única coisa que você tem ciência é que não poderá viver sem este estado.

Tenha clareza do que está ocorrendo, não tome decisões precipitadas, mas também não torne sua vida uma eterna espera pela decisão do outro.

Não deposite em ninguém todas as esperanças e sonhos, permaneça na pergunta: O que é isto? O que faço com isto? Como poderei ter mais disto? Como pode melhorar? E outras perguntas que não precisarão ter resposta agora, mas que ao repeti-las você começa a ter mais leveza do que é melhor para ti.

Seja feliz, respire, permita-se, tenha calma e cautela, não haja pelo impulso.

Quem sabe esta paixão extra trará algo melhor para seu relacionamento? Quem sabe esta paixão que você nem esperava viver seja de fato o encontro com você?

Independentemente da escolha a ser tomada, baixe as barreiras e expanda toda a potência que você é.

Compartilhe este texto com pessoas que poderão estar necessitando de palavras acolhedoras.

Comente aqui, você já viveu uma grande paixão? Eu você começar nossa conversa, eu já! E como é bom!

Por Lelah Monteiro – sexóloga, psicanalista, fisioterapeuta e life coach

Compartilhe este Post!

Sobre o Autor : Jéssica Mayara

1 Comentário

  1. Maura 07/10/2019, 2:15 pm comentar

    Sim!

Deixe um comentário

Seu e-mail não será exibido.