O guarda-chuva

Nas conversas entre amigos sempre consigo temas para escrever aqui no blog. Outro dia, num jantar, fiquei sabendo como um casal se conheceu. Eles já estão casados e vivem muito felizes. No primeiro encontro, quando ele foi buscá-la para sair, tiveram um jantar romântico. Ele abriu a porta do carro para ela entrar, a levou num restaurante bacana e pagou a conta. Na hora da despedida, ele não a beijou.

Ele estava louco de vontade, assim como ela, mas ele segurou a onda. Ela não entendeu nada. Como assim? Um homem que a corteja já há algum tempo, a leva para jantar e na despedida não lhe dá um beijo? – “Será que ele não gostou de mim?” – pensamos logo de cara!

Que nada! Quando os homens estão realmente interessados eles não têm pressa. Eles preferem investir no relacionamento. Valorizam-nos como mulher e nos tratam de forma diferente, como nós merecemos. Tratam-nos como pessoas especiais. Demonstram que não estão apenas interessados nos prazeres, mas sim no que realmente somos.

Num encontro especial, o homem leva o guarda-chuva. Não! Não é pra ele não. Ele não tem medo de se molhar. Está acostumado com a chuva. Ele não se importa se o cabelo dele molhar. Mas não quer que você estrague o seu visual, aquele que ele está admirando já há algum tempo. Na verdade ele não quer que você se molhe. Ele está preocupado com o seu bem-estar. Ele quer te conservar bonita para que todos te vejam e te achem linda,  assim mesmo, como ele te vê.

Homens inteligentes não tem pressa. Eles sabem esperar e escolhem o momento certo para te abaraçar e te beijar do jeito que você merece. Homens que realmente se importam com você levam no primeiro encontro o guarda-chuva pra te abrigar.

Pequenos detalhes fazem toda a diferenca. Que no seu próximo encontro você tenha um guarda-chuva pra te proteger!

Olha só que delícia essa música!

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=GPCRbuL4Oh8]

2 Comentários

  1. Isso ai Vanessa! Quando uma pessoa gosta de outra, não existe jogos, meias palavras, subliminares, mas também não existe o atropelo. Não é necessário, por que a coisa irá fluir… e flui mesmo!
    Apesar que no meu caso específico, se eu te contar a “minha história”, você irá ver que nem sempre o melhor caminho entre dois pontos é uma linha reta!rs
    Beijos, querida! I hope to see you soon!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Add to cart
AN