Não há vitórias…

Sem provação! Essa foi a frase que eu ouvi da minha funcionária nesses últimos dias. Ela tem acompanhado a minha luta. Viu todo o sofrimento pelo qual eu passei recentemente.

A Sueli me conhece há alguns anos. Quando ela chegou em casa me viu casada e, digamos, feliz. 

Eu me casei aos 31. Aos 32, nasceu a minha primeira filha, a Rafaela, hoje com 7 anos. Antes mesmo dela completar um ano, eu estava grávida da Giovanna, hoje com 6. Meu marido e eu, naquela época, tínhamos uma vida normal, própria das pessoas casadas e que vivem bem. Sim, nós éramos felizes. Até que um dia o nosso castelo começou a ruir.

Aquele sonho do casamento feliz, começou as poucos a se perder no tempo. As brigas tornaram-se cada vez mais freqüentes, até que o casamento chegou ao fim.

Nao foi uma decisão fácil de se tomar. Com o fim da relação, veio a dor. Mais profunda do que eu podia imaginar. O sentimento de fracasso é muito grande. 

Passei um tempo chorando por tudo. Eu sempre digo que separação é um luto. A gente acha que nunca vai passar. Mas nada como o tempo pra nos ajudar nesse empreitada. 

Sofrer faz parte da vida, infelizmente. E a gente aprende que as pessoas são livres e não pertencem a ninguém. Aprende que o amor não aprisiona, que não se enobrece, que não é egoísta e que não tem limites. Aprende que amar exige esforço e dedicação diária e que a felicidade é feita de momentos e de pequenos gestos. Aprende que sexo faz parte mas não é tudo na vida. Ele é o complemento do amor. Aprende que os filhos têm muitos mais para nos ensinar do que nós para eles.

Hoje, posso dizer, que com tudo que passei me sinto mais preparada para a vida, mais forte. Melhor como mãe e como mulher. Aprendi com meus erros e com as provações que a vida me impôs.

Entendo melhor o sentido da frase de que quando Deus fecha uma porta, certamente ele nos abrirá outras. E que quando ele tira algo de você, não o está punindo, mas sim te dando a chance de encontrar algo melhor.

Se a sua porta estiver fechada, pegue as chaves para abrir as tantas outras que aparecerão na sua vida. É preciso se dar uma nova chance! Boa sorte!

2 Comentários

  1. Oi Vanessa, adorei seus textos e parabéns pelo blog! Me identifiquei muito com este texto em especial pois eu também sou uma mulher de 40 anos, tenho uma filha de 7 anos e me separei do meu ex marido! Sabe eu sofri demais na minha separação pois larguei tudo para morar no Rio de Janeiro com ele, deixei meu emprego numa multinacional, minha família e meus amigos. Mas sabe quando dizem.. que pena que não deu certo.. eu não concordo.. deu certo sim.. fui feliz por 7 anos mas acabou! Uma pena que acabou (eu pensava naquela época) pois eu tinha uma filha de menos de 2 anos e ele se apaixonou por outra pessoa! Foi muito difícil.. ODIEI ele por algum tempo.. mas depois de alguns anos entendi que as relações “pai e filho” e “marido e mulher” tem que ser totalmente separadas! Amadureci muito no tempo em que voltei SOZINHA para São Paulo e com o tempo consegui perdoá-lo! Percebi que seria muito importante para minha filha ver uma relação bacana entre nós dois! Hoje temos uma relação super saudável… nos damos muito bem… dividimos as alegrias e os problemas de nossa filha. Neste meio tempo como você escreveu, Deus fechou uma porta e abriu outra…estou casada novamente há 3 anos e sou super feliz com meu marido!! Tenho certeza que passei por tudo isto para encontrá-lo! Hoje somos uma família feliz.. ele assume a minha filha como se fosse dele! É por isto que devemos sempre nos dar uma segunda chance! Beijos CrisKerr

  2. Apesar de passados 10 anos após separação, ainda sinto…..Apesar de estar casada com outra pessoa, ainda sinto….Apesar de ter conquistados amigos que não tinha antes, ainda sinto…..Meus olhos muitas vezes se enchem d’água qd lembro…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Add to cart
AN