Meditação – Tornando a Mente uma Aliada

Para começar, vamos falar sobre a origem das técnicas de treinamento da mente. Grande parte delas veio de tradições religiosas antigas. O budismo, principalmente, desenvolveu técnicas e formas para a observação da nossa mente e das nossas experiências. Ao longo do tempo, esses métodos chegaram ao Ocidente, porém só era possível encontrá-los nas práticas de yoga ou em templos budistas.

No fim da década de 70, a ciência começou a olhar para esses estudos e alguns pesquisadores famosos, que foram treinados nessas tradições, tiraram seu peso religioso com a anuência de grandes mestres. Assim, a ciência conseguiu comprovar a eficiência e os benefícios dessas práticas. Tanto que, dos anos 2000 até hoje, a quantidade de pesquisas científicas da neurociência envolvendo mindfulness e meditação cresceu muito. São mais de 2500 pesquisas sérias por ano.

Podemos dizer que existe uma grande amizade e sincronia entre as tradições antigas e a ciência, fazendo com que desenvolvam alguns métodos juntos. A MIND|station estuda tanto o lado da ciência, quanto o da tradição, trazendo as duas coisas acopladas para prover um conteúdo que ajudará a entender o treinamento da mente, tornar isso um hábito e transformar sua vida.

Como isso funciona na ciência?

O Mindfulness e a Meditação utilizam uma técnica que é aplicada para transformar seu cérebro e sua mente: a atenção focada.  A ciência descobriu que existem 4 estágios da mente trabalhados durante esse processo. O primeiro é a divagação. Ela não é de todo mal, é importante deixar a mente divagar um pouco para formar sua ideia de mundo. Porém, praticada com frequência, ela pode gerar infelicidade por conta do viés negativo da nossa mente. Acabamos aprofundando os pensamentos negativos.

Durante a meditação, você treina a mente a reconhecer que está divagando, depois reorienta sua atenção e, então, mantém o foco. E, assim, completam-se os 4 estágios da atenção focada. Ao manter-se focado, você ativa o córtex pré-frontal que, à medida que a atenção fica mais intensa, aumenta, pois a conexão entre os neurônios e sua circulação nessa parte do órgão começa a aumentar e isso pode gerar até uma mudança física neste órgão.

Outra pesquisa interessante foi feita com mentes de meditadores iniciantes e de pessoas que já tem mais de 10 mil horas de meditação. No estudo, uma pequena dor era causada por 10 segundos, sem ferir a pele dos participantes. Depois, eles ficavam 10 segundos sem dor e eram avisados que a dor recomeçaria. Eles perceberam que quem não meditava com frequência sentia a dor por mais tempo, pois depois que ela passava, eles continuam pensando nela. Quando eram avisados que a sentiriam novamente, sofriam por antecipação. Os meditadores só sentiam a dor quando ela de fato acontecia.

Existem algumas coisas importantes que você precisa ter em mente para trazer o Mindfulness e a meditação para sua vida.

  1. Motivação

Por que você resolveu começar a meditar? A motivação é algo importante para este início, pois muitas pessoas param de fazer quando atingem seu objetivo, por exemplo, diminuir a ansiedade. A ideia é manter a prática e se manter motivado. A MIND|station se coloca no meio entre a ciência e a tradição. A ciência é focada na razão; a tradição se foca na experiência que você tem no momento. É através dessa investigação aprofundada que vem da tradição, que conseguimos trazer para você o entendimento do Mindfulness | Meditação e como usá-lo no dia a dia, tornando um hábito e colhendo seus benefícios.

  1. Habilidades que desenvolvemos

Existem três habilidades que desenvolvemos com a prática. A primeira habilidade é a atenção concentrada, que é tradicionalmente chamada de concentração. E isso nos ajuda a observar as coisas claramente. A segunda habilidade é o que os cientistas chamam de monitoramento aberto, que é usado para ver como a mente cria sofrimento para si mesma. Finalmente, a última habilidade é aceitação e bondade amorosa, usadas para acalmar e confortar.

Quais são os benefícios da prática contínua?

1 – Ajuda a lidarmos com a perda.

2 – Melhora a Autoestima – a nossa tendência natural de nos compararmos com os outros e que muitas vezes nos gera sofrimento desnecessário.

3 – Ver e aceitar as coisas como elas são.

4 – Aumenta o bem-estar por conseguirmos apreciar mais o momento em que estamos, ao invés de termos nosso corpo e mente desconectados.

5 – Melhora os relacionamentos com todos à nossa volta.

6 – Há indícios científicos que aumenta a nossa criatividade, a geração de ideias e insights.

7 – Diminuição do estresse por conseguirmos observar os nossos padrões mentais e a forma com que criamos sofrimento para nós mesmos.

Quer começar e não sabe por onde?

Hoje em dia já existem muitos aplicativos de celular e conteúdo a respeito do tema e como tudo na atualidade, há muito ruído e dificuldade em achar informações realmente válidas dentro deste tema.

É por isso que criamos o canal de YouTube da MIND|station onde trazemos vários conteúdos gratuitos sobre o tema. Temos também um programa para iniciantes chamado Desafio da Mente Positiva.

https://bit.ly/playmeditacao

Por: Charles Betito – fundador da MIND|station, especialista em Mindfulness | Meditação, Neurociência, Inovação e Futurismo

Compartilhe este Post!

Sobre o Autor : Jéssica Mayara

0 Comentário

Deixe um comentário

Seu e-mail não será exibido.