Loucuras de amor

Na última semana, a nossa colunista Gislene Teixeira nos apresentou um texto sobre os “Psicopatas do Coração“. Muitas mulheres, mesmo sem perceber, acabam se envolvendo com homens doentes e muitas vezes não conseguem sair desse tipo de relacionamento. Veja o que fazer se você estiver numa relação como essa ou mesmo se você conhece alguma mulher que está passando por essa situação. Papo sério!

“Uma vez envolvida com o psicopata do coração, o que fazer?

Procure ficar atenta para não entrar nesse tipo de relacionamento, mas se já entrou procure sair o mais rápido possível e tente sair o menos machucado possível, o que segundo especialistas, é quase impossível mas dá para minimizar as cicatrizes.

Jamais confronte um psicopata, não vá contra suas ideias , seus ideais, suas verdades, pois você nunca vai conseguir. Lembre-se eles são manipuladores, estrategistas, têm sempre uma “carta na manga” e vão virar o jogo contra você com muita facilidade. Inclusive colocando as outras pessoas contra você, isto é, se você ainda tiver alguém ao seu lado, ou a quem recorrer, Ele vai “provar” que você é desnorteada, insana e insensível ás dores dele.

Ele vai te fazer sentir-se culpada mas não se vitimize, saiba que você não é responsável por tudo o que de mal acontece, aconteceu ou acontecerá na vida dele. Afinal ele é chantagista, manipulador e estrategista.  Ele não sente culpa e é imune a emoção, o pouco que expressa é por “imitação”,pode até chorar se for  preciso, mas é fingimento, afinal ele é frio e cínico.

Em poucos dias  ou meses de convívio ele  dirá que te ama e que você é a mulher da vida dele, sua alma gêmea e que te procurou a vida inteira e não saberia mais viver sem você.

Ele nunca entra em polêmica, não discorda de ninguém, ele sempre vai te deixar em dúvida sobre si mesma, ele vai te fazer acreditar que você fez ou não fez, falou ou não falou algo e como ele manipula, você vai realmente ficar confusa quanto a veracidade do que ele está falando.

Ele se faz de vítima quando diz ter tido uma infância difícil  e injusta e com isso a vítima se solidariza, penaliza e passa a minimizar seus desajustes. A vítima vai mesmo que inconscientemente  buscar ser a heroína romântica  que vai suprir suas carências e finalmente você vai fazê-lo feliz.

Ele vai criar um cenário de vida com fatores em comum para vocês dois, vai te fazer acreditar que você é a alma gêmea dele, vai te dizer o que você quer ouvir, fazer o que você quer. Ele vai pegando pequenos detalhes das suas conversas e montando estratégias que irão te surpreender. Ele vai te provar que vocês gostam das mesmas coisas, mesmos lugares e que conseguem achar graça e rir das mesmas coisas. Assim, ele vai te fazer sentir valorizada, querida, amada e cuidada como nunca antes por ninguém.

Quando ele não te quiser mais ele fará você se sentir mal, sempre errada, fará você acreditar que você o machucou, o feriu, o destratou, o envergonhou, debochou do seu amor, não o valorizou. Que você fez com que perdessem a química, e o relacionamento, mas mesmo assim, ele não irá desistir ou se afastar  de você , por que? Porque se ele se afastasse você se recuperaria logo, e então ele sempre volta para te alimentar com migalhas de amor. Diz que te ama mas você realmente o machucou muito e ele não está sabendo lidar com tudo o que você fez e provavelmente  vai fazer um dramalhão dizendo que está pensando em tirar a própria vida, simplesmente porque ele acredita ser a única maneira de se livrar dessa dor. E nesse momento a vítima entra em desespero. E então ele diz que você era mais atenciosa, mais cuidadosa, que se cuidava mais, era mais vaidosa, e com isso vai deixando sua autoestima como um pano de chão encardido e rasgado, isto é, acabará com você.

Gislene Teixeira – Pós-graduanda em sexologia pela FMABC – Faculdade de Medicina do ABC, Gestora Estratégica em Capital Humano, Especialista em Capital Erótico, Pós-graduada em Neurociências, Gestora Estratégica em Escolas, Graduada em Letras, Coach de relacionamento, Pratictioner em PNL, Palestrante e Produtora de Conteúdo online.

Compartilhe este Post!

Sobre o Autor : mulheresdequarenta

1 Comentário

  1. Lucy 30/09/2017, 7:32 pm comentar

    Passei exatamente por isso durante quase vinte anos, hoje faço tratamento psiquiátrico. e o pior a dependência psicológica que sinto. É como abstinência de uma droga qualquer. Apoio da família e amigos é fundamental pra sair dessa pois você acaba acreditando em todos os absurdos que ouviu. Auto estima abaixo de zero. Ele some por uns tempos e isso faz parte do jogo, depois volta com a mesma conversa que não consegue viver sem você. O importante é estar forte para dizer não.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será exibido.