Eu quero inteiro

E não pela metade. Eu trabalhei com uma moça que tinha um caso com um homem casado. A relação já se estendia por muitos anos. Ela era solteira.

No celular dela tocava uma música especial quando ele ligava. Eram raras as vezes que isso acontecia. Mas eu sempre sabia quando ele telefonava por causa do toque do celular.

Um dia, numa conversa entre amigas, ela disse que não queria tocar no assunto comigo porque eu era contra aquele tipo de relacionamento.

Na verdade ela não estava tão enganada assim. Eu era casada na época e confesso que nunca trai meu marido. Quando soube que ela julgava que eu era contra a relação que ela mantinha, logo tratei de me defender: “Eu não sou contra casos extraconjugais, apenas não os quero para mim”.

Acho difícil dividir esse tipo de coisa. Não suporto nada pela metade. Não gosto de viver relações que não sejam intensas. Esse é o meu jeito. Bom para quem consegue. Eu não me contento com pouco.

No fim, lá no fundo, eu sabia que o homem com quem ela se relacionava nunca iria largar a mulher com quem era casado para ficar com ela. Isso era claro para mim.

Vejo muitas mulheres se iludindo dessa forma. Não só com homens casados, mas em relacionamentos que não levam a nada e nem a lugar nenhum. Pessoas conformadas e que se contentam com pouco. Relacionamentos que duram anos, mas sem nenhum compromisso. E não falo aqui de casamento não, mesmo porque ninguém precisa casar para ser feliz. Mas ninguém consegue ser feliz pela metade. Eu pelo menos não. Estou certa que essas pessoas ficam sempre esperando algo a mais, rezando por um telefonema, implorando por um encontro que acontece casualmente.

Pessoas que não se assumem e têm medo de se relacionar. Pessoas que seguem frustradas por nunca terem tido nada por inteiro e na esperança de que aquela relação um dia possa mudar.

Bom, se você vive assim, pare para pensar enquanto ainda há tempo. Ser feliz depende única e exclusivamente das escolhas que você faz para a sua vida.

Então pense bem: seu copo está meio cheio ou meio vazio?

Compartilhe este Post!

Sobre o Autor : mulheresdequarenta

3 comentários

  1. sandra carvalho 14/12/2011, 3:13 am comentar

    Pois é,costumo dizer que o limite de tudo é a dor.
    Pq alguem se satisfaría com migalhas…? Estima baixa e falta de amor próprio,indo mais profundamente acha que não merece,não consegue.Vive uma relação de dependencia emocional ou financeira…medo de ficar só.Mas quem não se ama,não sabe seu valor não pode amar ninguem,é preciso primeiro ser boa companhia pra vc mesmo,fazer-se feliz para poder dar amor ao outro,é preciso querer estar e não necessitar estar com o outro.Se a pessoa, se valoriza pode até reverter uma situação,mas a mudança começa em nós,como o outro responde vai apenas testificar se era real e ser assumido ou se nunca foi…
    Muito bom Vanessa,super beijo!!!

  2. Flávia Almeida 14/12/2011, 4:45 am comentar

    Concordo com a Sandra Carvalho. E o texto é muito bom!! Também não quero pela metade, sou intensa.

  3. Bel valldão 14/12/2011, 1:17 pm comentar

    Adorei !!! muito bacana peguei o espirito da palavra bjs..

Deixe um comentário

Seu e-mail não será exibido.