Conheça a história do Mulheres de Quarenta, com Vanessa Palazzi

Entre textos e vídeos nas redes sociais, nem sempre conhecemos de perto a pessoa por trás das telinhas de computador. É por isso que hoje, vocês podem conferir uma entrevista sincera, em formato de ping-pong, com a Vanessa Palazzi, em que ela aborda sobre sua carreira, a trajetória do Mulheres de Quarenta, e demais curiosidades. Confira!

1. Fale um pouco de você! Uma breve apresentação com nome, idade, profissão e como se tornou uma Influenciadora Digital.

Sou a Vanessa Palazzi, jornalista, advogada, assessora parlamentar e influenciadora digital do Mulheres de Quarenta, uma rede com mais de 650 mil seguidoras. Há 8 anos criei o site do MQ para falar sobre moda. Eu sempre gostei desse tema, mas nunca tive domínio total do assunto como uma consultora de imagem tem. Quando comecei a escrever sobre as minhas próprias experiências de vida, percebi que as pessoas se identificavam muito com isso. Eu havia acabado de me divorciar e dividia com as minhas leitoras as minhas dores e também a minha superação. Hoje influencio mulheres mostrando a elas o meu estilo de vida e como eu lido com as adversidades.

2. Quais são as suas referências (de tudo, moda, lifestyle, influenciadores etc.)?

Eu sigo algumas grifes de moda, algumas influenciadoras, mas gosto mesmo de seguir pessoas comuns, minhas amigas e amigos. São das pessoas nomais, assim como eu, que vem a minha inspiração.

3. O que mudou na sua vida desde que se tornou uma Influenciadora?

A minha responsabilidade diante das pessoas. Quando você se torna uma influenciadora você tem que saber que está falando com milhares de pessoas que não te conhecem pessoalmente, mas que têm você como referência. E essa responsabilidade é muito grande. Eu acredito que tenho uma missão nesse sentido. E procuro fazer da melhor forma, sempre pensando no próximo e respeitando as pessoas em suas particularidades.

4. Quais são os prós e contras dessa profissão?

Os prós da profissão são a fama, o reconhecimento do seu trabalho, os elogios e incentivos que você recebe diariamente. Os contras são aprender a lidar com as críticas, aceitar as diferentes opiniões  e nunca se julgar dona da verdade. Eu encaro tudo isso como aprendizado. E isso me torna melhor e me faz evoluir.

5. Como é a sua relação com seus seguidores – fãs e haters?

Minha relação com as seguidoras é a melhor possível. Elas ficam minhas amigas sem me conhecer. Me admiram, me elogiam, gostam de conversar comigo. Eu respondo a todas elas. Para muitas acabo dando meu telefone pessoal e trocamos mensagens. A relação é sempre muito sincera. Eu sou o que sou. Sempre respondo a todas com carinho e principalmente com educação. E elas me devolvem da mesma forma. Não tenho haters. Uma ou outra seguidora já foi indelicada sem motivação, mas eu soube conduzir bem. Só pra ilustrar, um dia desses recebi uma crítica severa com relação aos conteúdos que eu postava no Facebook. Fiquei super brava quando a recebi e respondi rispidamente. Só que depois de refletir um pouco eu vi que a moça tinha razão naquilo que ela havia colocado. Imediatamente eu me desculpei com ela e, mais do que isso, mudei as minhas postagens e isso fez com que eu passasse a receber mais curtidas na minha página.

6. Como é a relação com as marcas/empresas para realizar os trabalhos?

A relação com os meus parceiros e clientes é sempre muito boa porque eu falo sempre a verdade. Como profissional da comunicação que sou, recomendo a eles aquilo que eu acredito que seja o melhor para a marca, mas sempre escuto e me atento ao outro lado. E também procuro fazer o que eu posso da melhor maneira possível. Eu me empenho para atender as expectativas e falar das marcas com as quais eu trabalho de uma forma que gere confiança para quem está me ouvindo. E também considero importantíssimo usar e experimentar os produtos dos quais estou falando porque aí tenho mais propriedade para divulgar as qualidades dos mesmos.

7. Como você analisa o mercado atualmente?

O mercado tem muita concorrência, mas isso nunca me importou. Aliás, pelo contrário. Eu acredito que no mundo digital ou em qualquer outro negócio, destaca-se quem tem algo diferenciado a oferecer. E com relação ao trabalho dos influenciadores digitais, considero um veículo fundamental para que as marcas possam divulgar seus nomes e produtos direcionados para os públicos que querem atingir. Hoje em dia não tem mais como retroceder nesse sentido.

8. Qual a sua expectativa para esse mercado?

Minha expectativa é a de que cresça cada vez mais. Como falei anteriormente não há mais como retroceder nesse sentido.

9. Como você analisa a influência que tem sob seus seguidores? Porque você acha que isso acontece?

Com muita positividade. Como eu uso e experimento tudo o que falo, divulgo com mais facilidade os produtos e serviços e isso gera credibilidade. Se as pessoas não acreditam naquilo que você fala, você não dá o retorno esperado para o seu cliente.

10. O que você diria pra quem está iniciando nessa área?

Minha dica principal é: seja você mesmo! A originalidade é um trunfo para quem quer se destacar no mundo virtual. E também faça diferente. Ofereça para as pessoas aquilo que elas querem receber e que você tem para oferecer, mas de uma forma personalizada. Isso fará toda a diferença!

Compartilhe este Post!

Sobre o Autor : Jéssica Mayara

0 Comentário

Deixe um comentário

Seu e-mail não será exibido.