Como tocar a alma humana? Como ajudar pessoas próximas que estão com depressão? Como não se deprimir junto?

Eu já tive depressão, a minha foi pós-parto, junto com uma crise de pânico num momento de transição da minha clínica, amamentando meu filho, casamento em um momento difícil, e eu superei. Vendi a clínica, continuei casada, amamentei meu filho por quase um ano e me curei.

Sou uma pessoa alegre, sempre fui, mas nem sempre fui feliz. Com altos e baixos, muitas vezes silencioso. Fiz terapia convencional e muitas outras alternativas.

Sim, sou psicanalista, psicoterapeuta de casal e hoje tenho como recursos para ajudar meus pacientes a hipnose e as barras de access. Venho de uma forma corajosa mostrar que sou ser humano igual a você, mas infelizmente muitos colegas não se colocam nesta vulnerabilidade.

Eu acredito na sua dor, porque já passei por ela, e se eu passei do olho do furacão, você também irá passar. Sim, tenho diversas histórias de pacientes, amigos e familiares para compartilhar com você, mas hoje reparto a minha contigo, acredite que você não está sozinho/a.

Milhares de pessoas neste momento estão com a sensação de não pertencimento, sentindo que não darão conta, e em completa apatia. Outras, por outro lado, talvez você nem imagine porque são extrovertidas, mas isto não exclui as dores da alma. Eu atendi muitos pacientes falantes e profundamente melancólicos.

Muitos alcoólatras, com comportamento dito social, que por trás de cada brinde trazia uma amargura imensa, outros vícios lícitos como os remédios em doses excessivas e por aí afora.

Por isto nosso tema em questão é: como tocar a alma humana?

Sendo você, com todas as tuas sombras, inspire as pessoas com todas as tuas fragilidades, mova-se para ser a expansão amorosa.

Como ajudar as pessoas que estão em depressão?

Primeiro passo é não julgá-las, segundo: ser um bom ouvinte, terceiro: incentivá-las a buscarem ajuda, ajuda efetiva, de resultado.

Como não se deprimir junto?

Vou dizer que cada caso é único, então se você sentir que a corda está ruindo, busque ajuda também, em diversos casos a família necessita ser assistida.

Por: Lelah Monteiro – Sexóloga, psicanalista, terapeuta de casais e fisioterapeuta.

Compartilhe este Post!

Sobre o Autor : Jéssica Mayara

0 Comentário

Deixe um comentário

Seu e-mail não será exibido.