Cinquenta tons de que?

De tanto ouvir falar eu comprei o primeiro livro. Comecei a ler empolgada depois tantos comentários a respeito do Sr. Grey. Sim, ele é apaixonante. Oras, por quê? Ele é bonito, lindo eu diria. Tem um corpo atlético, é jovem, rico, poderoso…e pasmem…solteiro! Além de tudo, sabe como tratar uma mulher.

Apesar do seu quê sado masoquista, Grey se rende ao chamado “sexo baunilha”. Aquele mesmo que vocês estão acostumados a fazer. Claro, cheio de pompa e circunstância. Nos ambientes mais exóticos do mundo. Grey sabe bem como tratar a sua Anastasia. Ela, uma mulher um tanto quanto imatura e insegura. Até mesmo com um pouco de baixa alta-estima. Pela pouca idade, adora discutir a relação e voltar ao passado intrigante do seu amante.

As cenas de sexo são um pouco repetitivas. Até certo ponto é empolgante, com um tapinha aqui, outro ali. Mas depois se tornam um tanto quanto previsíveis.E numa freqüência incrível, até mesmo um pouco utópica. Haja fôlego! rsrsrs

O marketing do livro é inteligente. O primeiro livro continua na sequência do segundo. Claro fui obrigada a comprar, esperando novas histórias ou algo mais surpreendente. Confesso que me entediei um pouco. Cansei de tanto sexo, apesar das descrições serem inteligentes.

Mas qual o motivo de tanto sucesso? Por que o livro é um recorde de vendas no mundo todo, em especial para o público feminino? Não é tão difícil de entender.

Grey dá ás mulheres exatamente aquilo que elas querem receber. Ele representa o homem ideal. Às vezes tosco, mas másculo, forte e ao mesmo tempo sensível. Ele levanta o ego de sua amada a cada momento. Ele a elogia. Cuida da sua Anastasia e se preocupa com o seu bem estar. Não lhe deixa faltar nada. É prevenido. É fiel. Proporciona ótimos momentos. Leva-a em excelentes restaurantes e hotéis. Aventura-se ao lado dela e a faz experimentar novas sensações. Além de tudo isso…desculpem-me a expressão…ele é bom de cama!

Mas nada tão surpreendente que os homens reais não possam fazer pelas suas mulheres. E como na vida real, o sexo tende a melhorar com o tempo, a intimidade e a criatividade. Nada que você não possa fazer pela sua vida sexual.

Faça a sua lição de casa. Todas as cores podem ter 50 tons!

6 Comentários

  1. Olha.. gostei da sua colocação a respeito do livro. TAmbém achei isto, ele é o que as mulheres gostam, o que os homens sabem ser quando nos querem conquistar mais logo esquecem quando nos tem em seu poder.
    Por isso, tem muitas mulheres no mundo do sado (submissas) que aceitam a condição, sendo sádicos ou dominadores psicológidos. A volta disso tudo é gostoso, é o jantar, é a sedução, o envolvimento o gozo, a fidelidade, a lingerie, o perfume dele, enfim.. uma série de fatores que para nós mulheres é primordial.

  2. Creio que o sucesso dos livros desta autora se dá, primeiro pelo marketing, que também concordo ser inteligente, e segundo pela vontade insaciável das pessoas de uma felicidade inexistente, somada à distorção, talvez, do que seria o amor vinculado ao tesão e ao prazer.

  3. Concordo plenamente. O livro aborda como exceção o que na verdade deveria estar em nosso dia a dia. Tudo que é descrito em Cinquenta Tons é o ideal que deveria ser praticado nos relacionamentos, cuidado, atenção, carinho, ternura, pegada e lógico sexo de tirar o fôlego com toda dose de criatividade que o assunto merece. Parabéns pela abordagem simples e direta!

  4. Amei o texto Vanessa (rsrs)
    sou uma leitura compulsiva por romance 50 tons é um tedio, tem livros muitos melhores que daria otimos filmes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Add to cart
AN